Conecte-se conosco

Saúde

Prefeitura realiza neste sábado dia de combate à Hanseníase em Nova Serrana

Avatar

Publicados

em

A prefeitura de Nova Serrana realiza neste sábado, dia 26 de janeiro, uma ação em referência ao Dia Nacional de Combate a Hanseníase, onde serão oferecidos exames preventivos previamente agendados e consulta médica para rastreamento de possíveis casos de hanseníases.

Durante o evento a secretaria de saúde realizará ainda diversos testes rápidos de HIV, Sífilis, Hepatite C, além de também serão oferecidas orientações sobre Dengue, Febre Amarela, Zika e Chikungunya.

A ação acontecerá  a partir de 7h às 11h na Policlínica Municipal, que fica na rua Zacarias Guimarães (ao lado do Hospital São José) e faz parte do Janeiro Roxo e Dia Nacional de Combate a Hanseníase.

Janeiro Roxo

Dia 28 de janeiro de 2019 será o Dia Nacional de Combate a Hanseníase. Essa doença, antigamente conhecida como lepra, é uma doença infecciosa causada por uma bactéria chamada Mycobacterium Leprae ou bacilo de Hansen, tendo sido identificada no ano de 1.873 pelo cientista Armauer Hansen.

Durante o mês de janeiro (Janeiro Roxo), são realizadas em todo o Brasil, ações de identificação e tratamento de hanseníase.

A doença tem curam, mas se não tratada, pode deixar sequelas. Hoje, em todo o mundo, o tratamento é oferecido gratuitamente, a fim de que a doença deixe de ser um problema de saúde pública. Em 2016, o Ministério da Saúde registrou no Brasil mais de 28.000 casos novos de Hanseníase.

Hanseníase

A transmissão da Hanseníase se dá por meio de convivência muito próxima e prolongada com o doente por contato com gotículas de saliva ou secreções do nariz. Vale lembrar que tocar a pele do paciente NÃO transmite a Hanseníase.

Cerca de 90% da população tem defesas naturais contra a doença. O período de incubação (tempo entre a aquisição a doença e da manifestação dos sintomas) varia de seis meses a cinco anos. A maneira como ela se manifesta varia de acordo com a genética de cada pessoa.

A suspeição da hanseníase é feita pela equipe de saúde e pelo próprio paciente. O diagnóstico é feito pelo médico e envolve a avaliação clínica dermatoneurológica do paciente, por meio de testes de sensibilidade, palpação de nervos, avaliação da força motora etc.

Se necessário, durante a ação, será feita a baciloscopia, que corresponde à coleta da serosidade cutânea, colhida em orelhas, cotovelos e da lesão de pele, e ainda pode ser realizada biópsia da lesão ou de uma área suspeita.

Leia mais...
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Entrar

Deixe uma resposta

Mais lidas