Conecte-se conosco

Governo Municipal

Nova Serrana atinge 4.632 casos suspeitos de dengue em 2019

Avatar

Publicados

em

Média é de um caso suspeito de dengue notificado a cada duas horas

A cidade de Nova Serrana vive em 2019 uma de suas piores epidemias por dengue registradas na historia e com os mais de 4.630 casos suspeitos registrados a cidade atinge a média de um caso a cada duas horas.

Os dados da Secretaria Municipal de Saúde apontam que o município registrou até o dia 11 de novembro de 2019 4.632 casos suspeitos de dengue. Atingindo em 11 meses a média de 421 notificações, e 14 casos por dia.

As informações repassadas apontam que os registros de dengue no município tiveram um aumento de quase 600%, uma vez que em 2018 foram registrado 788 casos suspeitos da doença no município.

A epidemia de dengue ainda causou neste ano uma morte que já foi confirmada pela Secretaria Municipal de Saúde, a vítima residia no bairro Itapuã. Ainda relacionado a mortes, outro óbito segue sendo investigado, neste a vítima era um morador do bairro Planalto.

Bairros com maior incidência de dengue

De acordo com as informações repassadas pela secretaria municipal de saúde, por meio do setor de comunicação do executivo, 14 bairros se destacam com maior incidência de casos de dengue registrados em 2019.

Entre os bairros com maior numero de casos notificados, em dois deles Itapuã e Planalto, houve óbitos possivelmente ligados a dengue.

Os bairros com maior número de registros suspeitos são: Concesso Elias, Planalto, Jefersson Batista, São Geraldo, Romeu Duarte, Frei Ambrósio, Novo Horizonte, Cidade Nova, Itapuã, Santa Sara, Veredas, Centro, Santo Antônio e Morada do Sol II.

99% dos focos estão nas residências

Como apontado, foi realizado na segunda semana de outubro um Levantamento do Índice Rápido de Infestação do Aedes Aegypti (LIRAa), e o relatório apontou que 99% dos focos do mosquito estão dentro das residências.

De acordo com a mostra, o índice de infestação em Nova Serrana teve leve aumento comparado com a última pesquisa e está em 1,7%.

Segundo repassado pelo executivo foram visitadas 1.745 residências, sendo que os locais com maior número de focos de proliferação do mosquito transmissor da dengue foram encontrados nas residências.

O LIRAa apontou que os locais que mais foram encontrados larvas de mosquito da dengue foram caixas d’água, barris, tonéis, bebedouros de animais, reservatório degelo de geladeira, tanques, depósitos em obras, hortas, calhas, lajes, vaso sanitário em desuso, piscina sem tratamento, lixo, recipiente plásticos, garrafas, latas, pneus e sucatas.

Combate

Ainda segundo a prefeitura, com o risco constatado as principais ações de combate ao mosquito Aedes Aegypti e eliminação das arboviroses, como zika, dengue e chikungunya, são realizadas de diversas maneiras pelo executivo.

Conforme informado a principal medida tomada pela gestão é atuação visando a conscientização permanente da população. De acordo com a prefeitura são ainda realizadas parcerias intersetoriais entre as Secretarias de Saúde, Educação, Meio Ambiente, Obras, Corpo de Bombeiros, e Faculdades de Nova Serrana.

Ainda segundo pontuado são realizadas visitas domiciliares, com orientações e informações quanto os cuidados para evitar proliferação do mosquito Aeds aegypti.Tratamento de caixas d’água com larvicida. Eliminação de focos do mosquito Aeds aegypti. Remoção de possível criadouro do mosquito Aeds aegypti e trabalhos nas Escolas com Projeto Trabalhando Cidadania.

Por fim a prefeitura ainda destacou que também são realizados ações que visam a mobilização Social com Palestras em Fábricas e Transportadoras na Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho (SIPAT) e ações de Mobilização Social, em Parceria com Rede de Supermercados.

Dados de Minas Gerais

Com 482.739 casos suspeitos de dengue informados às autoridades, Minas Gerais é o estado que mais gerou notificações da doença em 2019. Junto com São Paulo, Minas concentra 62% dos casos prováveis. Foram confirmadas 154 mortes no território mineiro.

Até 12 de outubro deste ano, houve 689 mortes em decorrência da dengue em todo o país, de acordo com o mais recente boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, número quase 5,4 vezes maior que as 128 mortes registradas no mesmo período de 2018.

Em todo o país foram registrados 1.489.457 milhões casos notificados de dengue em 2019, até 12 de outubro, número cerca de 690% maior do que os 215.585 casos de 2018. A dengue atinge até o momento 708,8 em cada 100 mil habitantes.

A região com a maior taxa de incidência é a Centro-Oeste, com 1.235,8 para cada grupo de 100 mil habitantes, apesar de ter um número menor de casos.

No período, o ano de 2019 é o terceiro com a maior notificação de casos de dengue no Brasil desde o início da série histórica, em 1998, ficando atrás somente de 2015 (1,68 milhão) e 2016 (1,5 milhão).

 

Mais lidas