Conecte-se conosco

Política

Mesmo com mais de R$ 300 mil em bens declarados, seis candidatos a vereador em Nova Serrana receberam auxilio emergencial

Avatar

Publicados

em

Até o fechamento dessa matéria, o candidato Telismar foi o único que atendeu a equipe deste Popular. Segundo ele houve um erro em sua declaração de bens feita pelo partido e seu jurídico já está tomando providências para a retificação

A pandemia de coronavírus atingiu muita gente, inclusive alguns que são nesse pleito candidatos a vereador. Contudo conforme pode ser observado junto a uma divulgação do Tribunal de Contas da União (TCU), é que alguns candidatos com altas declarações de bens, estão usufruindo do benefício destinado à complementação de renda.

De acordo com relatório publicado pelo TCU somente em Minas Gerais cerca de 250 candidatos no estado recebem o auxílio emergencial, o que não há impedimento. Contudo o que gera maior espanto é que estes 250 têm patrimônios declarados à justiça eleitoral com valor igual ou superior a R$ 300 mil.

Segundo o relatório, no município de Nova Serrana seis candidatos tem patrimônio declarado ao TSE acima de R$ 300 mil e recebem o benefício de auxílio emergencial.

Candidatos e declaração de bens em Nova Serrana

Conforme a publicação do TCU, os seis candidatos que tem patrimônio declarado acima de R$ 300 mil e recebem o auxílio emergencial são: Admilson Cheiroso (PV), Carlinhos do Salão (PL), Divina Cabelereira (PV), Sousa do Gás (PV), Telismar (PV) e Ze Bety (PSDB).

 Adimilson Cheiroso

A reportagem do Jornal O Popular, entrou em contato com o candidato a vereador, que apesar de visualizar as mensagens e questionamentos encaminhados por nossa equipe via aplicativo de mensagens, não se manifestou ou respondeu qualquer questionamento.

Conforme informado pelo TCU os valores recebidos referente ao Auxilio Emergencial foram de R$ 600,00.

Já quanto a declaração de bens o candidato tem uma motocicleta-  R$6.000,00; um veiculo VW GOL – R$35.000,00; uma casa financiada pela CEF – R$120.000,00 e uma casa residencial Fausto Pinton da Fonseca – R$150.000,00, totalizando assim R$ 311 mil em patrimônio.

 Carlinhos do Salão

A equipe do Jornal O Popular entrou em contato com o candidato por meio de aplicativo de mensagens. O candidato em questão visualizou a mensagem, chegou a responder, mas logo em seguida apagou a mensagem encaminhada e não fez qualquer consideração ou manifestação sobre os questionamentos encaminhados por nossa reportagem.

O candidato segundo o TCU recebeu o valor de R$ 600 de auxílio emergencial, tendo o seguinte patrimônio declarado à justiça eleitoral: um lote no bairro Ipiranga em Divinópolis – R$2.700,00;  um lote no bairro Sagrado Família – R$150.000,00; Um lote no bairro Planalto – R$20.000,00; um apartamento no bairro Santa Luzia – R$50.000,00; um automóvel fiat weekend – R$18.000,00; uma casa residencial no bairro Planalto – R$80.000,00.

Divina Cabeleireira

A reportagem deste Popular entrou em contato com a coligação, que repassou um número de contato da candidata que não foi encontrada no mesmo. Até o fechamento desta reportagem a candidata não retornou as ligações, conforme solicitado ao contato para recados.

De acordo com o TCU, Divina Cabelereira recebeu de auxílio emergencial até o momento R$ 600,00.

Quanto aos patrimônios declarados a candidata tem: uma casa residencial financiada pela CEF – R$120.000,00; uma loja de 80 M2 na rua Vereador Leonel Lino – R$80.000,00; um apartamento na rua Vereador Leonel Lino – R$100.000,00 e  uma chácara em Pintores município de Araújos – R$15.000,00. Totalizando assim R$ 315 mil em bens.

 Sousa do Gás

A equipe do jornal O Popular tentou contato com o candidato por meio de contato repassado pela coligação, contudo o número não era do candidato em questão. Cabe ressaltar que a nossa reportagem segue a disposição do candidato para quaisquer manifestações sobre o fato divulgado pelo TCU.

Conforme o relatório, Sousa do Gás recebeu até o momento a quantia de R$ 1.800,00 do auxílio emergencial.

Já relacionado a declaração de bens feita ao TSE, o candidato tem o seguinte patrimônio: uma casa residencial – R$150.000,00; um apartamento – R$120.000,00; um veiculo – R$15.000,00; uma motocicleta – R$5.000,00; um lote – R$40.000,00. Somados os bens declarados do candidato somam o patrimônio de R$ 330 mil.

 Telismar

Segundo apontado pelo TCU Telismar recebeu a quantia de R$ 1.200,00 de auxílio emergencial.

Quanto ao patrimônio declarado a justiça eleitoral, foi informado que o candidato possui os seguintes bens: uma casa residencial Fausto Pinto da Fonseca – R$400.000,00; uma casa financiada pela CEF – R$120.000,00; uma motocicleta – R$3.000,00; um veiculo VW GOL – R$50.000,00. Somados os patrimônios informados no Divulgacand atingem o valor de R$ 573 mil.

A reportagem do Jornal O Popular entrou em contato com o candidato sendo o único que atendeu e gentilmente atendeu a nossa equipe. Segundo informado por Telismar, “a declaração de bens foi feita errada pelo partido. Já entrei em contato com meu jurídico que irá fazer a ratificação da declaração de bens junto a justiça eleitoral”.

Jurídico de Telismar explica erro e afirma que documentação para ratificação na justiça eleitoral já foi juntada

Zé Bety

Conforme a planilha repassada pelo TCU, não foram informados no documento o valor que foi recebido pelo candidato quanto ao auxílio emergencial.

Já quanto a declaração e bens, o TSE aponta o seguinte patrimônio: um Imóvel Rua Ana Fernandes SIlva, 81 – R$300.000,00.

Cabe ressaltar que nossa reportagem também tentou contato com o candidato por meio de número repassado pela coligação, contudo as tentativas de chamadas caíram direto na caixa postal.

Nota do TCU

Por meio de despacho assinado nesta sexta-feira, 6/11, o ministro Bruno Dantas tornou pública lista produzida pelo TCU que contém os candidatos que declararam patrimônio igual ou superior a R$ 300mil e que receberam alguma parcela do auxílio emergencial até julho de 2020. É possível verificar também casos em que o patrimônio declarado do candidato supera 1 milhão de reais. Tais casos demonstram potenciais integrantes do rol de inclusões indevidas do benefício, uma vez que os indícios apontam renda incompatível com as regras do programa. Essa lista foi divulgada mediante parcial supressão dos CPFs dos candidatos.

A lista disponibilizada contém o cruzamento de dados realizado pelo TCU e o cruzamento realizado pelo Ministério da Cidadania, com dados que permitem identificar:

1) benefícios que foram cancelados antes da decisão do Tribunal;
2) benefícios que permaneceram com pagamentos em setembro e outubro, seja no âmbito do auxílio emergencial originalmente estabelecido pela Lei 13.982/2020, seja no âmbito do auxílio emergencial residual previsto na Medida Provisória 1.000/2020. 

Dessa forma, a planilha permite idenficar o tipo de auxílio (emergencial ou residual) e o momento do bloqueio (se antes ou depois da decisão do TCU). 
Importante destacar que o Ministério da Cidadania deliberou pelo cancelamento de todos os benefícios detectados pelo TCU, sem prejuízo da possibilidade dos beneficiários contestarem nos canais adequados. A única exceção se refere a benefício concedido judicialmente.

Alertas importantes:

  • Os resultados são apenas indícios de renda incompatível com o auxílio
  • Há risco de erro de preenchimento pelo candidato
  • Há risco de fraudes estruturadas com dados de terceiros
  • Só o Ministério da Cidadania pode confirmar se o pagamento é indevido
  • Só o TSE pode confirmar eventuais crimes eleitorais
  • O papel do TCU é garantir o bom uso do dinheiro público
  • Os dados dos candidatos são públicos e estão disponíveis no site do TSE
  • Os dados dos beneficiários do auxílio são públicos e estão no Portal da Transparência

CONFIRA A LISTA DIVULGADA PELO TCU NA INTEGRA (CLIQUE AQUI)

NOTA DO POPULAR

Cabe ressaltar que a reportagem do jornal O Popular segue a disposição dos candidatos que não se manifestaram,  caso desejam, façam suas considerações e ponderações.

Até o fechamento dessa matéria, o candidato Telismar foi o único que atendeu a equipe deste Popular. Segundo ele houve um erro em sua declaração de bens feita pelo partido e seu jurídico já está tomando providências para a retificação

Mais lidas