Conecte-se conosco

Justiça

Julgamento de Alexandre Cornélio é considerado nulo e novo júri será marcado

Avatar

Publicados

em

Após advogado contratado pela família de Walacy Bento, fazer menção ao silencio do acusado, juiz decide por declarar nulos o julgamento até aquele momento e conselho de sentença foi dissolvido

Após dois dias de trabalhos realizados no tribunal do júri na comarca de Nova Serrana, o julgamento de Alexandre Cornélio, acusado de ser o mandante do homicídio de Walacy Bento, no ano de 2015 foi declarado nulo pelo Juiz Dr. Paulo Neves.

Segundo as informações apuradas, a anulação do julgamento se deu após o advogado contratado pela família da vítima fazer menção ao silencio do suspeito indicando que tal fato como confissão, durante o julgamento.

LEIA MAIS NOTÍCIAS SOBRE JUSTIÇA AQUI NO JORNAL O POPULAR

Conforme apontado por nossos consultores jurídicos “apesar do ditado popular dizer que quem cala consente, no tribunal o silêncio é um direito do acusado e não pode ser caracterizado como confissão de culpa, assim o advogado de defesa incitar os jurados a entender de que quem cala consente estaria passível de comprometimento do julgamento por parte do júri e desvirtuação do direito de ficar calado do acusado”.

Diante da situação o Juiz então entendeu por bem declarar nulo o julgamento, foi dissolvido o conselho de sentença e uma nova data para o julgamento será posteriormente agendada.

Relembre o caso

No início da madrugada de sábado dia 18 de julho de 2015, a Polícia Militar (PM) recebeu informações de que um jovem baleado havia dado entrara na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Nova Serrana, o qual não resistiu aos ferimentos e veio a óbito.

A PM  compareceu até a unidade de saúde e identificou a vítima como Walacy Aparecido Bento dos Santos, de 22 anos.

Segundo os médicos a vítima apresentava sete perfurações provenientes de arma de fogo, sendo três no abdômen e quatro nas costas.

Conforme os fatos narrados na época, o crime ocorreu na porta de uma casa de show localizada no bairro Marisa, e segundo narraram as testemunhas, a vítima teria se desentendido com um outro rapaz que deixou o local em uma Caminhonete Hilux e retornou ao local do crime alguns instantes após a discussão, acompanhado de um comparsa que com um capuz na cabeça se aproximou da vítima pelas costas e efetuou diversos disparos.

As testemunhas apontaram na época de que o indivíduo envolvido na discussão seria o mandante do crime, identificado como Alexandre Cornélio, que foi levado a júri na última terça-feira, contudo, conforme informado por este popular, teve o julgamento declarado nulo pelo juiz, após o advogado da família da vitima ter feito menção ao silêncio do acusado.

Mais lidas