Conecte-se conosco

Esportes

Irmãos são chamados de ‘bando de macacos’ durante jogo do Atlético no Mineirão

Publicados

em

Dois irmãos foram vítimas de racismo dentro do Mineirão durante a partida entre Atlético e Juventude, na noite de sábado (20/11). Eles foram chamados de “cambadas de macacos” por um homem na arquibancada.  As informações são do Jornal O Tempo.


“Em pleno 20 de Novembro (Dia Nacional da Consciência Negra), nós ficamos em uma delegacia registando boletim de ocorrência”, lamentou o publicitário Carlos Miguel Fernandes Lopes de Almeida, de 25 anos.

De acordo com ele, o suspeito tentou passar pelos irmãos que estavam com as namoradas e dois primos. A prima deles pediu que o homem tivesse calma pois estava muito cheio. O suspeito respondeu que qualquer coisa “passava por cima”.

“Meu irmão olhou para ele e ele perguntou: o que você está olhando para mim macaco?”, contou o publicitário. De acordo com ele, o filho do homem o repreendeu, mas ele falou: “vai defender essa cambada de macaco?”.

Eles registraram um boletim de ocorrência por injúria racial sobre o caso.“A gente tem uma vivência de luta e de militância, mas chega uma hora dessa a gente não está preparado. Eu só queria ir para a minha casa ver minha família. A vitória do galo já não importava mais”, contou.

Os irmãos conheciam o suspeito que mora na mesma cidade que eles, em Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte. O homem de 43 anos foi identificado no boletim de ocorrência por injúria racial. O caso será investigado pela Polícia Civil.

Mineirão lamenta

Procurado pela reportagem de O TEMPO, o Mineirão informou, por meio de nota, que “lamenta e repudia casos de injúria racial e importunação sexual” durante a partida de sábado.

“O trabalho de atendimento, acolhimento, encaminhamento e acompanhamento das vítimas foi feito para todos os casos relatados. O Mineirão também se coloca à disposição das autoridades policiais para auxiliar nas investigações”, complementa o estádio.

Ainda conforme o Mineirão, a empresa tem trabalhado em campanhas educativas com o torcedor, com apoio de clubes e órgãos públicos, que foi lançada no próprio jogo onde o caso de racismo foi registrado. Além disso, os vigilantes também foram instruídos sobre como agir em casos de injúria racial, importunação sexual ou qualquer tipo de discriminação.

“O Mineirão disponibilizou um canal de denúncias por Whatsapp, com o intuito de agilizar o atendimento e colaborar com apuração dos fatos junto aos órgãos de segurança. É importante que as denúncias aconteçam para que os responsáveis sejam punidos”, finaliza a nota do estádio.

Foto: Reprodução Redes Sociais

Mais lidas