Conecte-se conosco

Minas

Interdições em estradas deixam mineiros sem ter como voltar à rotina

Publicados

em

“Não tenho previsão de quando vou conseguir voltar para casa”. O drama do borracheiro Ítalo Santos, de 19 anos, retrata a dificuldade vivida por muitos mineiros que não conseguem voltar de viagem em função dos estragos causados nas estradas pelas fortes chuvas que castigam o Estado. Até a noite dessa terça-feira (11/1), eram 131 pontos de interdição na malha rodoviária que corta Minas Gerais, 42 deles totalmente. As informações são do jornal O Tempo.
O morador de Santa Luzia, na Grande BH, está ilhado em Santo Antônio do Grama, na Zona da Mata Mineira. “No final de semana choveu muito, e o nível do ribeirão que corta a cidade cobriu a ponte que leva até a rodoviária. Isso fez com que ela apresentasse rachaduras e impossibilitou o tráfego”, conta ele. Se não bastasse esse problema, a outra saída da cidade também está comprometida. “A estrada cedeu pela ligação entre Urucânia e a Ponte Nova. Por causa disso, estou ilhado”, relata.
O professor de dança Jonathan Lana, 26, também já devia estar em casa. Ele foi passar o réveillon no Rio de Janeiro, com previsão de retorno a Belo Horizonte no último sábado, só que tudo mudou. “A empresa de ônibus me orientou a não fazer a viagem por conta das interdições nas estradas. Parentes também fizeram a mesma recomendação por causa dos desabamentos de encostas que ocorreram”, conta.
O medo de acontecer algo de ruim no trajeto para BH fez o professor de dança continuar no estado carioca: “Optei por ficar por aqui, pois soube que o tempo de viagem aumentou muito. O trecho que era feito em nove horas chegou a ser feito em 16. Além disso, algumas pessoas tiveram que ficar paradas na rodovia devido às más condições”.
Reflexos
Os compromissos de trabalho de Jonathan e Ítalo tiveram que ser adiados. “Precisei remanejar as aulas que tinha marcado para segunda e terça. O sentimento que tenho agora é de medo e receio, pois preciso voltar, mas fico preocupado de algo acontecer na estrada”, diz o professor de dança.
Ítalo já começa a ficar preocupado com as contas que precisa pagar: “A sensação é muito ruim, porque os boletos chegam, têm data para vencer, e estou impossibilitado de voltar e trabalhar”.
Recomendações


As autoridades recomendam às pessoas que esperem a intensidade das chuvas diminuir para viajar de carro ou ônibus. “Só viaje se tiver algum compromisso inadiável. Estamos fazendo de tudo para garantir a segurança de todos”, Afirma o tenente André Muniz, chefe de Comunicação Organizacional da Polícia Militar Rodoviária.

Quem precisar pegar a estrada, deve se planejar. “Disponibilizamos um link com todos os pontos de interdições nas estradas, seja ela parcial ou total. O mapa é produzido em conjunto com a PRF e é muito confiável”, alerta. O mapa está sujeito à constantes alterações.
Outra dica é viajar durante o dia e buscar informações pelos canais oficiais, aconselha o inspetor Aristides Junior, chefe da Comunicação Social da Polícia Rodoviária Federal em Minas Gerais.

Ferrovias também foram afetadas

Assim como as rodovias que cortam Minas Gerais, as ferrovias também foram afetadas pelas chuvas intensas dos primeiros dias de 2022. Há ao menos duas interdições e um fechamento por segurança, de acordo com balanço divulgado ontem pelo Ministério da Infraestrutura. Isso interfere no transporte de commodities para o litoral e atrapalha a vida de quem pretendia usar o trem Vitória-Minas.

O trem de passageiros que liga Belo Horizonte a Vitória está com viagens suspensas, pelo menos, até hoje. Quem já comprou passagem pode remarcar ou cancelar sem multa em até 30 dias. Mais informações podem ser obtidas por meio do Alô Ferrovias (0800 285 7000), canal de atendimento gratuito mantido pela Vale.

Setenta metros da MG–262 cedem com a chuva

Setenta metros de pista da MG–262, na altura de Mariana, na região Central do Estado, cederam ontem em decorrência das fortes chuvas que atingem Minas Gerais nos últimos dias. A estrada, que liga a cidade a Ponte Nova, na Zona da Mata, ficou completamente destruída na altura do Trevo do Furquim. A Prefeitura de Mariana emitiu um alerta avisando que a rodovia está completamente fechada nos dois sentidos e que os motoristas devem evitar o local.

A prefeitura alertou ainda que, em caso de ocorrências, a população deve fazer contato pelos telefones 153 e 199. O prefeito Juliano Duarte orienta os motoristas a fazerem desvio pelos municípios de Acaiaca ou Diogo. Segundo ele, já foi feito contato com o DER para restabelecimento da via.

Mais lidas