Conecte-se conosco

Governo Municipal

Covid-19: Kalil anuncia que flexibilização da quarentena em BH deve começar no dia 25 de maio

Avatar

Publicados

em

Após encontro com 23 dirigentes municipais da região metropolitana de Belo Horizonte sobre a pandemia do coronavírus, o prefeito Alexandre Kalil (PSD) anunciou que a flexibilização do isolamento social deve começar a partir de 25 de maio na capital mineira. De acordo com Kalil, a reabertura dos comércios vai ser gradual e depende, exclusivamente, do comportamento da população nas próximas semanas.

“Sabemos que, segundo a ciência, somos os responsáveis por tudo isso e que vamos passar nas próximas duas semanas pelo pior pico do Brasil. A população tem que entender, já estamos reunindo com as federações, olhando o plano de flexibilização, mas ele pode vir ou não, dependendo do comportamento das pessoas”,  enfatizou.

O prefeito ainda contou que o grupo criado para avaliar as medidas de relaxamento das restrições na capital vai se reunir nesta semana com as entidades que representam os diversos setores econômicos da cidade. “Não importo de levar o ônus. Quando fechamos o comércio, era desgaste, ninguém queria. Agora comentam um problema de pandemia com ciência política. É um absurdo não ser um médico. Temos de escutar quem entende”, frisou.

E mais uma vez, Kalil lembra que todas as decisões na capital mineira são tomadas através das análises e estudos desenvolvidos pelos infectologistas e o secretário municipal de Saúde, Jackson Pinto. “O controle do coronavírus é de 20% do poder público, que apanha e toma buzinaço, e outros 80% de quem pode ficar em casa”, acrescenta.

Panorama na região metropolitana

O presidente da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte (Granbel) e prefeito de Nova Lima, Vitor Penido (DEM), destacou após o encontro que a maioria dos 34 municípios no entorno da capital já iniciaram a flexibilização do isolamento.

Conforme o dirigente, a principal cobrança na reunião foi de que as prefeituras aumentem a rigidez da fiscalização das medidas de proteção, como uso de máscaras e limitação do número de pessoas nos estabelecimentos. “É para fazer com responsabilidade, com apenas as pessoas preparadas trabalhando. E as que forem frequentar, usando máscara e álcool em gel”, disse.

Em entrevista exclusiva à rádio Super Notícia, Penido alegou que há uma preocupação com a eventual flexibilização em Belo Horizonte, já que muitas pessoas que residem na região metropolitana trabalham na capital mineira. “Pode haver um fluxo maior da população entre as cidades e isso provocar um aumento no número de casos”, enfatiza.

Porém, o prefeito Alexandre Kalil garantiu que a retomada será consciente e ainda está em estudo os primeiros setores que poderão reabrir. “É técnico, do mesmo jeito que foi fechado vai ser aberto. O povo está com medo de ir para a rua, não podemos jogar todo mundo ao mesmo tempo”, argumenta.

Críticas ao governo de Minas

Durante a coletiva, também não faltaram críticas à atuação do Governo de Minas Gerais. Para Kalil, a gestão Zema, mesmo com o lançamento de um programa para definir estratégias de flexibilização das atividades comerciais e industriais, jogou o problema “nas costas dos prefeitos”.

“Precisamos de dinheiro, liderança, não de conselho”, afirma. Chamada de Minas Consciente, a estratégia do Executivo estadual é fazer com que cada prefeitura avalie as condições do município perante à pandemia do coronavírus e faça ou não a reabertura gradual dos setores.

Foto/Fonte: Flávio Tavares/O Tempo

 CLIQUE AQUI E FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO DE WHATSAPP

JORNAL O POPULAR – A NOTÍCIA COM DEVE SER

 

Mais lidas