Conecte-se conosco

Policial

Corpos de vítimas de naufrágio na Represa de Furnas são encontrados

Israel Silveira

Publicados

em

A republicação total ou parcial deste conteúdo é gratuita desde que citada a fonte com o link para o site do portal "opopularns.com.br" | A não citação da fonte com o link para o site implicará em medidas judiciais de acordo com a lei de direitos autorais 9610/98.

O acidente aconteceu na última sexta-feira (27) e três pessoas, sendo duas crianças e um idoso, seguiam desaparecidos; ao todo, cinco pessoas morreram

O Corpo de Bombeiros encontrou, neste domingo (29), os corpos de duas meninas, de 8 e 5 anos, e de um idoso, de 60 anos, que estavam desaparecidos desde a última sexta-feira (27), após o barco em que estavam naufragar na Represa de Furnas, em Carmo do Rio Claro, no Sul do Estado. Com isso, a tragédia deixa cinco mortos e um sobrevivente.


Dois corpos já haviam sido resgatados na última sexta-feira, após o acidente. Ao todo, seis pessoas estavam na embarcação, e o condutor sobreviveu. Segundo informações do Corpo de Bombeiros, a região onde as vítimas foram encontradas é de difícil acesso. Os agentes estão aguardando a perícia.

Entenda
O acidente ocorreu na última sexta-feira (27). Segundo a Polícia Militar, as vítimas seriam da mesma família. No momento em que a embarcação em que eles estavam virou, ninguém usava colete. Na ocasião, a reportagem de O TEMPO conversou com a repórter Cláudia dos Santos, que é parente das vítimas.

Cláudia disse que a família estava em uma canoa de madeira movida a motor, quando houve uma movimentação atípica na água, o que fez com que ela virasse. A informação foi confirmada pela Polícia Militar.

Ainda segundo Cláudia, a família tinha o costume de fazer esse tipo de passeio. “Meu tio é muito experiente, tem muita experiência com pesca, ele conhece bem esse lugar, fazem essa travessia há anos”, falou. Os ocupantes do barco eram de Guapé, município de Minas Gerais, mas há muitos anos moram em Franca, no interior de São Paulo.

Prevenção

Com a chegada do verão (dia 22 de dezembro), regiões com cachoeiras, lagos e praias são as mais procuradas por banhistas querendo se refrescar. Para evitar acidentes, o Corpo de Bombeiro de Minas Gerais dá dicas para que a população se divirta com segurança.

Escolha o local certo:

  • Procure um local conhecido por você ou por outra pessoa, desde que ela o acompanhe;
  • Não ultrapasse faixas e placas de avisos;
  • Não entre em locais onde há avisos de perigo de morte ou em águas poluídas;
  • Procure sempre local onde existe a presença de Guarda-Vidas, ou o Corpo de Bombeiros;
  • Evite nadar sozinho;
  • Não salte de locais elevados para dentro da água;
  • Não tente salvar pessoas em afogamento sem estar devidamente habilitado;
  • Prefira lançar flutuadores para salvar pessoas ao invés da ação corpo a corpo;
  • Acate as orientações dos Bombeiros ou dos Guarda-vidas;
  • Não pule de cima de cachoeiras
  • Mantenha distância das pedras e bocas de rios, pois o que lhe parece bonito e atrativo constitui também um perigo
  • Obedeça à sinalização de perigo

Seja cuidadoso (a):

  • No barco, caiaque ou lancha, use sempre os equipamentos de segurança. Se o barco virar, você não corre o risco de se afogar.
  • Evite navegar com carga em excesso;
  • Evite brincadeiras de mau gosto (“caldos”, “trotes”, “saltos”)
  • Não faça uso de bebida alcoólica
  • Somente conduza embarcações se for habilitado para tal.
  • Só deixe entrar na embarcação pessoas usando coletes guarda-vidas;
  • Nunca entre na água após as refeições. Quando estiver na praia ou pescando num rio, coma somente alimentos leves. Dessa maneira, não terá congestão nem perderá o equilíbrio.
  • Não se afaste da margem
  • Não deixe crianças brincarem sozinhas na praia, na beira de rios, lagos ou piscinas.

Peça ajuda:

  • Em caso de emergência, ligue imediatamente para o Corpo de Bombeiros Militar, pelo número 193.
  • Não tente salvar pessoas sem possuir habilitação para isso
  • Prefira jogar flutuadores para salvar pessoas ao invés de entrar na água para salvá-la
  • Acate as orientações dos Bombeiros ou dos Guarda-vidas.
  • Fonte: jornal O Tempo

Mais lidas