Conecte-se conosco

Cidade

RECLAMAÇÕES E DESINFORMAÇÃO: as fragilidades da educação em Nova Serrana durante a pandemia

Avatar

Publicados

em

A republicação total ou parcial deste conteúdo é gratuita desde que citada a fonte com o link para o site do portal "opopularns.com.br" | A não citação da fonte com o link para o site implicará em medidas judiciais de acordo com a lei de direitos autorais 9610/98.

A pandemia de Coronavírus tem desestruturado socialmente todos os estados e municípios do país, e impactos econômicos e sociais, são praticamente irreversíveis e serão percebidos a longo prazo.


Como se não bastasse toda a tensão envolvendo a economia, emprego, e saúde, a educação, um fator crucial para o futuro de nossa cidade, estado e país, é diretamente comprometido, e tem preocupado pais e autoridades.

Segundo dados do Unicef, compilados a partir do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontam que o abandono escolar é um problema real em todo o País.

Em 2019, conforme a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, mais de 700 mil crianças e adolescentes de 6 a 17 anos não frequentavam a escola, o equivalente a 2% do total da amostra.

Em 2020, outra pesquisa (Pnad Covid) – que perguntou se o aluno tinha frequentado as aulas nos últimos 15 dias – revelou que esse percentual 1,38 milhão de alunos não tinham participado do processo educacional.

Dúvidas e fragilidades em Nova Serrana

A preocupação latente com a educação das crianças e qualidade do ensino aplicado é uma preocupação de pais e até professores do município. A cidade que já apresentou uma estagnação no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) conforme apontado em matéria deste Popular, mostrar ainda fragilidades e desinformação quanto às ações educacionais.

Conforme vídeo publicado nas redes sociais, Hernando Moreira Souza, que é micro empreendedor e pai de três crianças que estudam na rede municipal de ensino, apresentou problemas vivenciados pelos alunos e famílias durante a pandemia, relacionados à educação municipal.

Segundo exposto por Hernando, no ano passado foram determinados procedimentos (realização de atividades que eram passadas online e declaração de presença no grupo da sala de aula em aplicativo de celular) que não foram seguidos por alguns alunos e no final do período letivo, a realização de alguns trabalhos justificou a ausência de todo o ano e proporcionou a aprovação.

Já em 2021, foi aplicado o mesmo processo, contudo agora foi até colocado a necessidade dos alunos assistirem aulas no youtube, e após assistir as mesmas respondam atividades encaminhadas nos grupos.

O pai no entanto questionou que o momento de dificuldade vivenciado pelos pais, sendo que muitos sequer tem dinheiro para comprar leite, e solicitou que as autoridades eleitas, viabilizassem a impressão dos materiais para que os país e responsáveis pudessem retirar na unidade de educação.

“Na minha percepção muita coisa está errada, a questão das aulas online, os sábados como dia letivo, que colocam como live que temos que assistir, a questão de nos tempos que vivemos hoje muitos pais não tem como nem comprar o leite para alimentar o filho, quem dirá manter um celular com crédito”. Disse Hernando.

Umas pessoas tem celular mais moderno, mas muitos não tem esse recurso, então acessar link para ensinar uma criança é complicado. Outra questão que entendo ser errado, imagina um pai de família que tem de estudo somente a quarta série e tem uma criança estudando no oitavo ano, como um pai vai ensinar essa criança.

A fragilidade apresentada pela rede municipal de educação também pode ser notada com as estratégias e ações promovidas para que os alunos participem das atividades. Em determinada escola do município chegou a ser sorteada uma cesta básica para que os alunos participem de lives e atividades da instituição. O que para alguns é uma humilhação para os pais, uma vez que os mesmo tem o direito a cesta básica já que os alunos não estão recebendo merenda escolar.

Outro ponto que foi amplamente questionado nas redes sociais foi quanto a distribuição de materiais didáticos, sendo evidente que o processo de comunicação, orientação e informação tem sido falho, por parte da administração para com os pais.

Os questionamentos foram inclusive pauta de declaração do vereador Willian Barcelos (PTB) em reunião da Câmara Municipal, na ocasião o vereador leu uma nota da administração e questionou o alinhamento do conteúdo e procedimentos afirmado pela secretaria municipal de educação.

Tenho recebido muitas reclamações de pais devido ao acesso aos conteúdo. Conforme informado o acesso é online, e as reclamações dão conta de que às vezes os pais não tem condição de acessar a internet diariamente e fazer downloads de conteúdo. Por isso solicitei um requerimento para que a secretaria estude a necessidade de um dia na semana, o responsável poder retirar o material impresso na escola. Se a escola está com custos reduzidos devido à pandemia tem que ter recursos para imprimir o material e entregar aos pais, isso é uma ação que trará benefícios e pode ser realizada”. Disse o vereador.

Prefeitura se posiciona

Diante dos questionamentos e considerações apontados por responsáveis, e até mesmo pelo vereador este Popular entrou em contato com a administração municipal solicitando informações sobre diversos pontos relacionados aos procedimentos da educação municipal.

Confira as questões encaminhadas e resposta da gestão de Nova Serrana:

Qual a metodologia está sendo aplicada na educação a distância em Nova Serrana?

O ensino em Nova Serrana no ano de 2021 iniciou-se através do Ensino Remoto, bem como ocorreu em 2020. Com o avanço da curva de contágio da Covid-19, torna prudente considerar que a retomada das aulas presenciais nas escolas municipais ocorra com responsabilidade, dentro das possibilidades que garantam a segurança dos estudantes, servidores e seus familiares.

O ensino remoto de emergência é uma mudança temporária da educação tida como tradicional presencial para a entrega de instruções através de um modo de entrega alternativo devido a circunstâncias de crise.

O Parecer CNE 05/2020 estabelece que as atividades pedagógicas não presenciais podem acontecer por meios digitais; via programas de TV ou rádio; pela distribuição de material didático aos alunos para o momento de isolamento; e pela orientação de leituras, projetos, pesquisas, exercícios e outras atividades.

Como são elaboradas, entregues e corrigidas as atividades?

As atividades são elaboradas pelos professores regentes das turmas, em acordo com o Currículo Referência de Minas Gerais e baseadas no nível de aprendizado das turmas, observados após o processo de avaliação diagnóstico formal, através da Prova Aprendi e também através do processo de avaliação diário e contínuo através das devolutivas apresentadas pelos estudantes aos professores nos Grupos de Whatsapp de suas turmas. Portanto a entrega se dá através de postagens nesses grupos de atividades, ações e roteiros de estudos e a devolutiva também é feita dessa forma, aproximando o estudante dos seus professores, fortalecendo os vínculos e garantindo a oferta das atividades. Em 2021, já começou a distribuição do livro didático para os alunos.

Em qual plataforma os alunos de Nova Serrana recebem as atividades e realizam as aulas virtuais?

Os estudantes recebem os roteiros pelo Grupo de whatsapp da turma e realizam as atividades em seus cadernos e livros didáticos.

Para os alunos e pais que não tem acesso a internet ou têm dificuldade no acesso remoto, qual o protocolo está sendo adotado pela administração?

Será semelhante ao ocorrido no ano de 2020, onde famílias com dificuldade de acesso poderão receber o material impresso nas escolas.

Porém, a partir da determinação da Onda Roxa, as escolas através das orientações do  Memorando-Circular nº 32/2021/SEE/SG, ficou determinando que as unidades escolares localizadas nesses municípios, permanecerão fechadas para atendimento presencial à comunidade e funcionamento interno, no período de vigência da Onda Roxa, em acordo ao estabelecido no anexo II da Deliberação do Comitê Extraordinário Covid-19 nº138, de 16 de março de 2021.

Qual a função dos professores e pedagogos no processo de educação a distância atualmente aplicado na cidade?

Os professores exercem sua função de regência de turma. Elaboram as atividades, postam nos grupos, tutoram a turma, recebem devolutivas e corrigem as atividades, além de realizar o registros dessas no diário on-line, a fim de comprovação junto a 12ª Superintendência Regional, que fiscaliza as ações do Município através das observações e visitas realizadas pela Inspeção Escolar.

O especialista de educação, é o profissional escolar responsável pela orientação pedagógica das equipes escolares. Ele recebe as orientações diretamente da Secretaria Municipal de Educação e repassa aos professores. O especialista alinha ações de aprendizagem observando a realidade da sua Unidade de escolar e suas particularidades, sempre observando as orientações normativas dos Pareceres, Memorandos e Decretos enviados pela Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais.

Qual o valor dos recursos direcionados para a merenda escolar neste ano?

O governo federal repassa, a estados, municípios e escolas federais, valores financeiros de caráter suplementar efetuados em 10 parcelas (fevereiro a novembro) para a cobertura de 200 dias letivos, conforme o número de alunos matriculados em cada rede de ensino.

Atualmente o valor repassado pela União a estados e municípios por dia letivo para cada aluno é definido de acordo com a etapa e modalidade de ensino: creche R$1,07, pré-escola R$0,53, ensino fundamental R$0,36, ensino integral R$1,07. Em contrapartida, a prefeitura investe para cada aluno, por dia, o valor de R$2,27.

Neste ano, a previsão é receber aproximadamente o valor de R$1.500.000,00 a serem investidos na alimentação escolar.

Qual a destinação será dada aos recursos da merenda escolar, já que não há atividades presenciais?

Como as escolas estão fechadas devido a pandemia do Coronavírus, os alimentos serão distribuídos aos estudantes em forma de kits de gêneros alimentícios.

Quanto à distribuição de materiais escolares, como cadernos, lápis, borracha. A prefeitura segue procedendo à distribuição mesmo com o ensino a distância?

Sim. Todas as escolas foram abastecidas com materiais escolares para atenderem a estudantes com  dificuldade de acesso a esses materiais. Basta a família informar a escola e a Gestão da Unidade Escolar fará a distribuição em acordo com a necessidade da família. Com a Onda Roxa, vale lembrar que não há atendimento nas Unidades de Ensino.

Caso sejam realizados a distribuição dos materiais, como devem proceder os país que tem a necessidade do aporte dos materiais escolares?

Basta comparecer a escola e informar da sua dificuldade atual e necessidade de recebimento do material que o Gestor Escolar realizará a entrega conforme a necessidade do estudante.

Se tratando da distribuição, até o momento, qual a quantidade e tipos de materiais escolares que já foram distribuídos, e qual a meta a ser atingida?

Essa distribuição ocorre por demanda, ou seja, a família solicita e é atendida em sua demanda quanto aos matérias de uso pessoal básico (cadernos, lápis, borracha, outros).  Quanto aos livros didáticos, a maioria das Unidades de Ensino já realizou a entrega desses materiais e outras haviam marcado na Semana em que ocorreu  a instauração da Onda Roxa, que impossibilitou a entrega em algumas Unidades de Ensino, que realizarão a entrega assim que autorizadas para os alunos do 1º e 2º períodos da educação infantil.

A Prefeitura teve conhecimento do sorteio de uma cesta básica para alunos, em um sábado letivo?

Sim. Algumas unidades de Ensino, durante o ano de 2020, a fim de motivarem a participação dos estudantes e famílias na realização das atividades remotas presentou e sorteou medalhas, caixas de bombons e outros brindes aos estudantes que participavam ativamente das atividades. A iniciativa do sorteio da Cesta Básica se deu em uma Unidade Escolar, através de acordo entre a Equipe Pedagógica que quis ofertar esse brinde.

A Prefeitura corrobora com a medida do sorteio de uma cesta básica para alunos?

A SMEC não oferta cesta básica a fim de estimular a participação dos estudantes nas atividades escolares. A iniciativa da Equipe Escolar, a fim de incentivar a participação de estudantes e familiares nas atividades escolares é sempre valorizada, seja através de certificados, medalhas, brindes diversos.

OBS: todas as respostas publicadas estão exatamente como repassadas pela gestão municipal.

Leia mais...
Propaganda

Mais lidas