Conecte-se conosco

Fake News

‘Alerta’ de que medição com termômetro infravermelho causa riscos ao cérebro é fake

Avatar

Publicados

em

Não bastassem as incertezas envolvendo a Covid-19, sua transmissão e efeitos no organismo – algo que agora vem sendo estudado e decifrado por especialistas de todo o mundo – ainda há quem jogue contra quando o assunto é informar. A disseminação de notícias falsas envolvendo a pandemia no Brasil é tamanha que o próprio Ministério da Saúde criou, em seu site, uma página específica para reunir os principais relatos inverídicos (https://www.saude.gov.br/component/tags/tag/novo-coronavirus-fake-news).

O mais novo exemplo de desserviço tem como personagem o termômetro infravermelho usado para medição de temperatura de forma remota (na testa). Um vídeo que circula em grupos de WhatsApp sugere que o dispositivo traria danos à glândula pineal, localizada na parte central do cérebro e responsável pela produção de melatonina, o hormônio que ajuda a regular os padrões de sono. Teria, inclusive, potencial cancerígeno. Ainda segundo a teoria, a medição adequada seria na região do pulso.

O compartilhamento da “informação” já levou a desmentidos de órgãos públicos. A Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina emitiu nota de alerta, em que mostra que não há qualquer fundamento no vídeo.

“O termômetro de infravermelho mede a intensidade da radiação de infravermelho emitida pela superfície de um corpo para inferir sobre a temperatura desse. Desta forma,não há prejuízo ao corpo humano. Nenhum termômetro que usa o infravermelho dispara radiação eletromagnética. Um termômetro desse tipo é apenas um detector, e não uma fonte de radiação infravermelha. Portanto, a luz vermelha que existe em alguns termômetros do tipo também não tem nada a ver com um suposto “raio infravermelho”, mas apenas serve como um guia para a medição da temperatura no local correto”, diz o documento, que conclui: “Não há nenhuma  evidência científica de que o termômetro infravermelho cause qualquer problema intracraniano. Consideramos o uso dos termômetros infravermelhos seguros para seres humanos, e a melhor opção para verificação da temperatura corporal em massa, em decorrência da pandemia,em curso, do coronavírus (Sars-CoV-2)”.

Fonte: Por Rodrigo Gini –  Hoje em Dia

Foto: Imagem Ilustrativa Web

Mais lidas