Conecte-se conosco

Câmara Municipal de Nova Serrana

Coronavírus, dengue e lotes sujos são temas da reunião de enfrentamento à pandemia na Câmara de Nova Serrana

Avatar

Publicados

em

Um debate foi promovido durante a 9ª sessão da Comissão de Enfrentamento à Pandemia na Câmara Municipal de Nova Serrana na última quinta-feira, dia 21 de maio, à situação do Coronavírus em Nova Serrana e, paralelo a isso, a necessidade de manter o alerta para combater a dengue no município.

A reunião contou com a participação dos vereadores e também de representantes da Secretaria Municipal de Saúde e também representante da Secretaria Municipal de Obras.

Foram convidados para o debate o médico Dr. Marcelo Silva de Carvalho; a coordenadora de endemias, Idalia Carneiro;  representando a vigilância epidemiológica, Katiuscia Oliveira; o secretário Municipal de Obras, Hedy Wilson e outros assessores da secretaria: Kianny Cardos e Nilson Gontijo.

Estiveram presentes os vereadores Willian Barcelos, José Alberto, Valter Faquinha, Remirton, Jadir Chanel, Doia Ceará, Sandro Moret, Cabral.

O presidente da Comissão de Enfrentamento à Pandemia, vereador Willian Barcelos disse aos presentes que durante o tempo de quarentena, muitas pessoas questionaram a concentração de atenção no Coronavírus, deixando de lado o combate a dengue. Essa é uma preocupação de todo o estado e principalmente de Nova Serrana, principalmente para se traçar metas para reduzir a infestação do mosquito transmissor.

A coordenadora de endemias, Idalia Carneiro enfatizou que em Nova Serrana o trabalho da equipe de endemias tem sido constante, mesmo nesse período. Ela citou ainda que existe uma nota técnica que impede os agentes de entrarem nos imóveis e, apesar disso, a equipe continuou o trabalho na cidade de forma árdua, intensa e abrangente.

A coordenadora passou os dados atuais da dengue em Nova Serrana: “Estamos hoje com 570 notificações, 91 casos testados positivos através de exame sorológico e 37 casos descartados”. Ela explicou o procedimento de trabalho dos agentes que é feito por meio de ciclos, são seis (06) ciclos sendo que a cada dois (02) meses os agentes visitam as casas dos moradores para levar informações, fazer tratamento da caixa d’água com larvicidas para o controle de vetores e orientar a população sobre os cuidados necessários dentro das residências.

Idalia esclarece que apesar de muitas famílias estarem dentro de suas casas por mais tempo durante a pandemia, as pessoas não estão cuidando de seus imóveis. “Precisamos alertar a população de que não é só o setor público que é responsável pelo controle da dengue não. Existe uma corresponsabilidade, ou seja, a população precisa fazer sua parte. Na rua a prefeitura tem que tirar o lixo, limpar tudo, mas dentro dos imóveis onde são encontrados 96% dos focos de dengue, é o morador que precisa cuidar”.

Idalia citou alguns dos locais onde são encontrados larvas como reservatórios atrás das geladeiras, potes de água de animais domésticos, pratinho de planta dentro e fora de casa, diversos utensílios no quintal e em lotes.

Sobre os lotes vagos Idalia chama mais a atenção. “O lixo não sai andando e voando sozinho para lotes vagos e imóveis abandonados, as pessoas jogam. Isso é grave e um risco para todos”. Relata dizendo novamente que o poder público tem que agir, mas o morador, o proprietário, o comerciante e os donos de fábricas têm que parar de jogar lixo na rua. A falta de lixeira nas residências foi apontada como outro grande problema. Finaliza fazendo um apelo para que todos os Poderes (Legislativo, Executivo, Judiciário), assim como a toda a população, se unam para fiscalização quanto ao lixo que propicia a contaminação de diversas doenças e se esforcem para a intensificação do combate à dengue em Nova Serrana.

Os vereadores questionaram sobre o uso do carro fumaceiro na cidade e a coordenadora explicou que pela metodologia só é permitido o uso desse recurso quanto a incidência de dengue for acima de 300 casos de dengue e, nesse momento a cidade está abaixo disso.

Bairros com mais notificação de dengue

O fumacê costal foi solicitado para os bairros com mais notificações de dengue. São eles: Novo Horizonte, Boa Vista, Centro, São Geraldo, Concesso Elias, Jefferson Batista, Planalto, Romeu Duarte, Itapoã, Veredas da Serra, André de Freitas, Bela Vista Frei Ambrósio, Morada do Sol e Laranjeiras.

O bairro Novo Horizonte é o que mais tem notificações e, de acordo com os dados, há muito lixo no bairro e os moradores não gostam de receber os agentes de endemias em suas casas, o que dificulta muito o trabalho de combate ao aedes aegypti, mosquito transmissor da doença.

Mais lidas