Conecte-se conosco

Colunistas

A corrida reduz a ansiedade

Marcelo Andrade

Publicados

em

Caros leitores, já estamos na sexta edição de nossa coluna, e por aqui,  já conversamos sobre vários benefícios da corrida para a sua saúde (http://www.opopularns.com.br/author/marcelo-andrade/).

Hoje vamos falar sobre o papel da corrida/caminhada nos transtornos psicológicos, mais especificamente sobre a ansiedade.

Atualmente, o desenvolvimento industrial e tecnológico, bem como as pressões sociais, políticas e econômicas, tem contribuído para o aumento de problemas mentais de ordem emocional, por exemplo, a ansiedade.

Ansiedade é uma antecipação de ameaça futura, sendo mais frequente associada a uma tensão muscular e vigilâncias permanentes em preparação para um perigo, aliado a componentes de cautela e esquiva.

Melhor dizendo, ansiedade pode ser compreendida como um acompanhamento, até certo ponto, normal das diversas mudanças, sendo o caráter patológico observado quando está se apresenta em uma magnitude ou duração elevada.

Em geral, psicoterapia e medicação são usadas no tratamento da ansiedade. Contudo, os tratamentos farmacológicos podem causar efeitos colaterais, como, dependência, prejuízos cognitivos, sedação, ganho de massa corporal e outros.

Junto à medicação, tem sido sugerido outras formas de tratamento, dentre elas, a corrida/caminhada que, em vários casos, tem efeitos similares ao uso de medicamentos e terapias.

A corrida/caminhada aumenta o transporte de oxigênio para o cérebro, a síntese e a degradação de neurotransmissores, liberação de serotonina e diminuição da viscosidade sanguínea. Ainda, diminui a ansiedade, melhora a autoestima e cognição, além de reduzir o estresse. Além disso, traz importantes benefícios também em relação a distúrbios do sono, transtornos de humor, e aspectos cognitivos como memória e aprendizagem.

Estudos confirmam que a corrida/caminhada (3 dias/semana, 50 a 60% da frequência cardíaca máxima, 30 min/dia) pode produzir efeitos ansiolíticos (diminuir a ansiedade), e proteger o organismo dos efeitos prejudiciais do estresse na saúde física e mental.

Como de praxe, caros leitores, antes de sair correndo/caminhando por aí, procurem o Profissional de Educação Física para orientá-los.

 

MARCELO TEIXEIRA DE ANDRADE é professor, Doutorando em Ciências do Esporte pela Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional (EEFFTO) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Mestre em Ciências do Esporte pela EEFFTO da UFMG, Graduado em Educação Física pelo Centro Universitário de Belo Horizonte (UniBH).

Continue Lendo
2 Comments

2 Comments

  1. Suzana Maria de Lima

    4 de maio de 2018 em 17:45

    Muito Bom! Eu como corredora a 19 anos sei como esse esporte faz bem para o corpo em gerale para a mente . pra conhecer pessoas maravilhosas praticando essa modalidade de esporte,

    Parabéns pela matéria

    Suzana Lima

    • Marcelo de Andrade

      7 de maio de 2018 em 15:22

      Oi Suzana! Obrigado e sucesso nas corridas! Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Copyright © 2018 Ineo Sistemas