Conecte-se conosco

Política

Vereador Jadir Chanel (MDB) abandona bloco “Unidos por Nova Serrana” da base do executivo

Publicados

em

Na última terça-feira, um comunicado feito pelo vereador Jadir Chanel (MDB) durante a 17ª reunião ordinária da Câmara ganhou destaque e despertou a curiosidade de eleitores e também demais vereadores da casa.

Em seu pronunciamento o vereador Jadir Chanel anunciou seu desligamento do bloco “Unidos por Nova Serrana”, determinando que a partir daquele momento não faria mais parte do grupo e seguiria “carreira solo” como  disse o vereador.

A saída de Jadir Chanel do grupo gerou ainda incertezas quanto a relação do vereador e a base do executivo, uma vez que dos seis vereadores que compõe o grupo, somente Willian Barcelos (PTB) não é declaradamente um legislador da base do prefeito Euzebio Lago na Câmara de Nova Serrana.

Questionado sobre sua saída o vereador de forma exclusiva ao jornal o Popular explicou que apesar de ter se desligado do grupo ele continuar fazendo parte da base do executivo.

Segundo Jadir sua saída não irá interferir em sua relação com o executivo. “A minha saída não vai influenciar em nada minha posição quanto à base do executivo. Saio do bloco, mas continuo votando pelo meu entendimento, do que é moral e legal. Se tiver que votar algo contra o executivo, que penso não caber quanto aos princípios e entendimento, que pensar não ser adequado para a população, não terei problema em votar contrário, pois voto por minhas convicções”. Pontuou Jadir

O discurso do vereador condiz com o entendimento do executivo sobre a questão. Em nota o secretário de Articulação Política, Ezquiel Silas, afirmou que a relação com o executivo segue naturalmente. “Sobre o pedido apresentado pelo Vereador Jadir Chanel (MDB) na reunião da Câmara de Vereadores realizada ontem (5), comunicando sua saída do bloco “Unidos por Nova Serrana“, a Administração 2017/2020, através da Secretaria de Assuntos Institucionais, esclarece que, respeita e entende como legítima a decisão do parlamentar. Ressaltando que a saída do mesmo do bloco não altera a base governista na Câmara Municipal, uma vez que o respeitável vereador continua integrante do MDB, partido presidido pelo prefeito Euzébio Lago”.  Afirmou o secretário.

Dificuldades de entendimento dentro do bloco

Segundo o próprio vereador Jadir Chanel, a participação do bloco perdeu o sentido uma vez que o mesmo não está unido, ou focado defendendo os mesmos ideais.

O vereador pontua que cada legislador tem seus ideais e que o bloco desde sua criação não promoveu nenhum ação em conjunto. “O bloco não responde pelos vereadores cada um deve ter seu posicionamento, defender sua visão. O bloco nunca fez nada, apenas foi chamado para entendimento da situação cada um teve sua visão, não houve em momento algum um chamamento para todos votarem da mesma forma, ao contrario do outro bloco existente na Câmara”. Afirmou Jadir Chanel.

Como um desabafo o vereador ressaltou que manterá suas convicções e que estar vereador não fará com que ele mude sua forma de ser e agir com a sociedade. “Quando fui eleito as pessoas me questionaram se eu continuaria a ser a mesma pessoa, se teria a mesma cara. Hoje quando olho para os vereadores percebo que muitos mudaram suas caras, mudaram suas convicções por algum motivo que é pessoal de cada um. Eu ao contrario vou manter a minha, continuarei sendo a mesma pessoa,” pontuou o vereador, que disse ainda. “Eu serei sempre dono do meu nariz, a minha cara será a mesma, somente Deus tem o controle em mim e ele só pode mudar minha conduta”

Por fim Jadir explicou que o grupo foi pego de surpresa quanto a seu posicionamento, não sendo essa uma ação articulada com outros interesses. “É importante ressaltar que antes da reunião não havia comunicado aos vereadores sobre minha saída, com exceção do Pr. Giovane, com quem já havia comentado sobre essa possibilidade, todo o grupo foi pego de surpresa”. Disse Jadir Chanel.

O presidente do bloco

Jadir Chanel ocupava a vice-presidência do Bloco “Unidos por Nova Serrana”. O presidente do Bloco vereador Willian Barcelos foi procurado e também se posicionou sobre o assunto, lembrando ainda, que o bloco é formado por mais quatro vereadores que são Ricardo Tobias e Wantuir Paraguai (PSDB), PR. Giovane Máximo (MDP), Juliano do Boa Vista (PSD).

Na visão de Willian alguns desentendimentos vinham sendo notados, pois em relação ao bloco, normalmente se utiliza o tempo regimental para dirigir mensagens de aconselhamento a postura dos vereadores e solicitação em nome do grupo dirigida ao presidente.

Contudo nas ultimas reuniões isso não tem acontecido.  “O que tem acontecido é que nas duas ultimas reuniões não utilizei dessa prerrogativa, haja vista que dentro de minha personalidade parlamentar eu não me valeria de um tempo de um grupo ligado à base de sustentação do prefeito para poder criticá-lo ou apontar determinado problema. Como meu trabalho foi de criticas contundentes de coisas que eu considero que não vão bem na administração, eu não fiz uso do tempo em nome do bloco e isso pode ter gerado um descontentamento”. Pontuou o vereador.

Incômodos desencadeados

Willian entende ainda que a postura de Jadir foi desencadeada pela votação do projeto 117/2017, aprovado recentemente. “O que parece é que o vereador Jadir está incomodado com a situação de que após a votação do projeto 117 que trata de regularização fundiária, do distrito industrial, ele foi o primeiro vereador a postar um texto colocando os nomes dos demais membros, no qual eu estava incluso, como favoráveis as invasões, que é uma inverdade, inclusive, a lei que hoje proíbe as invasões em nova serrana é de 2017 e de minha autoria”. Afirmou willian.

Willian explicou que quanto ao projeto 117 que foi feito é uma regularização de fato anterior a dezembro de 2016, que consta na lei federal 13465/2017 assinada pelo presidente Temer. A emenda na lei é a garantia ou salvaguarda dos imóveis aos antigos donatários, muitos deles por força da escritura já teriam perdido o direito por vários fatores e irregularidades.

Raiz da desavença

Para Willian Barcelos a saída do vereador se dá também devido a postura adotada por Jadir quanto a aprovação da lei. “O vereador Jadir preferiu nomear os vereadores que votaram contrário aquilo que ele julgou mais interessante, seguindo orientação do prefeito e sua base, e ficou constrangido pelo fato de que eu como presidente do bloco me posicionei a favor do projeto, do outro lado”.

Willian afirmou que a conduta posterior de Jadir desencadeou uma situação indigesta na casa. “Os vereadores que se sentiram não somente constrangidos, mas ultrajados e ofendidos pela postagem que o vereador fez nas redes sociais, que se replicou na manhã seguinte em cartazes que foram fixados em postes, ou seja, os vereadores ou vários vereadores estão procurando na justiça os seus direitos inclusive com possibilidade de oferecerem ao vereador jadir denúncia por injuria, e também não está descartada a possibilidade de pedirmos uma sindicância interna na câmara que pode culminar até mesmo em um pedido de cassação”. Afirmou Willian.

O presidente do bloco disparou ainda que não existe nada de carreira solo por parte de Jadir Chanel. “Aquele discurso de que está seguindo carreira solo, na verdade aquele discurso que esta seguindo carreira solo ele é um dos únicos que não segue carreira solo ali, na verdade existe um conjunto a serviço do prefeito que votam tudo a serviço do prefeito, eu não vi por exemplo o vereador Jadir ou outros mais votarem contrários ao prefeito em nenhum projeto, esse negocio de carreira solo está muito mais para banda de musica, um conjunto muito bem arranjado”. Finalizou Willian Barcelos.

 Cassação

É importante reforçar que dentro do regimento interno da Câmara para que um legislador seja caçado é necessário que após a instauração do processo o mesmo receba nove votos contrários. Vale lembrar que o regimento determina que nesse caso os votos são secretos.

Mais lidas

Copyright © 2018 Ineo Sistemas