Conecte-se conosco

Política

SAMU em Nova Serrana: mais de 1700 atendimentos em seis meses

Publicados

em

Relatório aponta que SAMU realiza em média 10 atendimentos por dia em Nova Serrana, entre socorros presenciais e orientações médicas

No dia sete de junho de 2017, Nova Serrana como os mais de 50 municípios do Centro-Oeste Mineiro passaram a ser cobertos pelo Serviço de Atendimento Móvel Urbano (SAMU), ferramenta que tem como origem salvar vidas, fez a diferença em Nova Serrana.

Na sexta-feira (19), foi encaminhado pela assessoria de Comunicação do SAMU Centro-Oeste, o relatório da prestação de serviços dos primeiros seis meses de atuação em Nova Serrana, e os números são relevantes quanto ao atendimento e socorro no município.

Entre os dias 07 de junho e 31 de Dezembro o SAMU contabilizou exatos 1080 atendimento somente em Nova Serrana. O relatório aponta que 284 atendimentos foram feitos pela Unidade de Serviço Avançado (USA) e 796 casos foram atendidos pela Unida de Serviço Básico (USB).

Outro dado relevante quanto a prestação dos serviços do órgão em Nova Serrana diz respeito a forma como a instituição orienta e inicia o atendimento antes mesmo da unidade se deslocar até o local onde é solicitado o socorro.

O SAMU conta com uma equipe de médicos e socorristas que também promovem o atendimento telefônico, prestando assim orientações relevantes e até mesmo em alguns casos evitando as despesas de deslocamento das ambulâncias.

Somente em Nova Serrana foram contabilizados 700 atendimentos realizados exclusivamente por telefones, com orientações médicas que são singulares quanto ao salvamento de pacientes.

De acordo com a secretária de Saúde de Nova Serrana, esse serviço de orientações médicas tornam ainda mais eficiente o serviço de socorro e resolutividade dos casos que solicitam atenção dos serviços de saúde. “O Atendimento com o médico, as orientações que são prestadas por esses profissionais na central do SAMU, trazem maior assertividade e reduzem os possíveis impactos negativos, afinal, os pacientes que solicitam o serviço passam a ser orientados ainda mesmo antes de serem atendidos em loco e em muitos casos, são inclusive direcionados e buscam a correta unidade de saúde para que recebem o atendimento específico para sua necessidade, o que economiza tempo e torna o processo, análise e atendimento clinico ainda mais salutar”, pondera a secretária municipal de saúde, Gláucia sbampato.

 

Principais ocorrências

Entre as ocorrências atendidas pelo SAMU em Nova Serrana os fatores clínicos são a principal causa do socorro prestado pelo serviço. Nos últimos seis meses foram registrados cerca de 103 socorros clínicos por mês totalizando 622 atendimentos de junho a dezembro.

Outra causa que teve grande número de atendimentos foram as ocorrências devido a causas traumáticas, normalmente geradas por acidentes de trânsito, quedas e fraturas. Desde que foi dado o start da prestação do serviço do SAMU, em Nova Serrana foram registrados 327 atendimentos por motivos traumáticos, o que representa aproximadamente 54 atendimentos mês e quase dois por dias.

A secretaria municipal de saúde, reforça a importância do SAMU quanto a especificações de atendimento, uma vez que a unidade, ao contrário da competência do corpo de bombeiros, está interligada ao sistema de saúde e direciona a porta adequada para o atendimento da necessidade específica. “O SAMU tem maior capacidade de resolutividade uma vez que seu sistema é integrado ao da saúde pública e diante de uma ocorrência eles tem disponível e já direcionado a porta correta de atendimento, ou seja, o paciente será levado a um hospital que tem capacidade e especialização em áreas específicas, o que aumenta sistematicamente a possibilidade de recuperação e qualidade no serviço”, explica a secretária.

Glaucia afirma ainda que esse é um fator que faz toda diferença quanto ao serviço do SAMU. “Esse direcionamento específico a porta do hospital aberta e disponível e o direcionamento para a unidade adequada para a demanda específica é muitas vezes a diferença entre a vida e a morte de uma pessoa que está necessitando do socorro. O Paciente não precisa de passar pela UPA, ela já é levado a unidade que tem a capacidade e especialização técnica para desde o primeiro momento atender e buscar preservar a vida do paciente em demandas específicas”, firmou Sbampato.

O SAMU em Nova Serrana realizou ainda 67 atendimentos referentes a obstetrícia, 42 de causas psiquiátricas e 22 de causas pediátricas.

 

Idade e sexo dos pacientes

O relatório também aponta que os homens são mais propícios a necessitarem de atendimentos de urgência e emergência. Em Nova Serrana foram socorridos pelo SAMU 572 homens, enquanto as ocorrências onde os socorridos eram mulheres contabilizaram 508, ou seja os atendimentos envolvendo o sexo masculino tem 7,8% de maior incidência do que os do sexo feminino.

A faixa etária também é um fator que chama a atenção, ao contrário do que muitos pensam, os jovens de 10 a 19 anos não estão nem ao menos entre as três principais faixas etárias mais atendidas.

De acordo com o relatório do SAMU, dos 1080 atendimentos realizados, 464 atenderam a faixa etária de adultos entre 20 e 40 anos, em segundo lugar, pacientes de 41 a 60 anos contabilizam 228 atendimentos, enquanto pacientes com idade acima de 60 anos, solicitaram e receberam socorro presencial 194 vezes nos últimos seis meses.

E ainda, 121 pessoas com idade de 10 a 19 anos foram socorridas, 45 atendimentos foram prestados para pacientes com idade de 2 a 9 anos e por fim 28 atendimentos envolveram crianças recém nascidas de 0 a 1 ano.

Segundo a assessoria da instituição esse quadro é um reflexo das principais causas de socorro, tendo assim um impacto quanto a questões sociais significativas. “Boa parte dos atendimentos quanto as especialidades e tipos de atendimento está relacionado a idade, justamente por termos um numero maior de atendimentos na idade adulta, também temos um significativo numero de socorros realizados com causas clinicas e traumáticas”. Explicou a assessoria da instituição.

 

Gravidade dos atendimentos

As equipe do SAMU utilizam a classificação das cores “vermelho”, “amarelo”, “verde” ou “azul”, para diagnosticar os atendimentos do mais ao menos grave.

Desta forma são encaminhados para as UPAs os pacientes classificados em situação de risco “amarelo” ou “verde” (casos clínicos como dor abdominal intensa, febre alta e enxaqueca).

Os atendimentos classificados em vermelho são os casos graves, como infartos ou derrames, estes podem ser atendidos nas UPAs apenas para a estabilização imediata e permanecerão sob a responsabilidade do SAMU, que deverá providenciar a remoção para as unidades municipais de referência.

Os pacientes classificados como “verde”, estão em quadros como constipação intestinal ou outras queixas crônicas que devem ter acompanhamento ambulatorial e poderão receber assistência do próprio SAMU.

Finalizando o relatório, 870 atendimentos foram identificados como sendo de gravidade amarela, 187 de gravidade vermelha e 83 de gravidade verde.

Mais lidas

Copyright © 2018 Ineo Sistemas