Conecte-se conosco

Editorial

Queimar gordura no local correto!

Publicados

em

Na Câmara Municipal semanalmente passam pautas, projetos, indicações, falas, tribunos e muitos desses não são encarados como efetivo ou resolutivos para a cidade.

Projetos como o formato de placas de obras, por exemplo, são aprovados, mas sinceramente, a não ser pelos políticos não traz um ganho efetivo para a população, afinal mais importante do que o formato da placa é a qualidade da obra que está sendo inaugurada.

Contudo um projeto vem sendo esperado por muitos que acompanham, criticam e seguem os passos dos políticos de Nova Serrana, se preocupando efetivamente com a administração do município.

Estamos nos referindo a tão sonhada reforma administrativa prometida pela atual gestão ainda em palanque de campanha.

Na reunião de terça-feira, essa reforma foi abordada por um dos vereadores, afinal o projeto do executivo já está na casa e segundo apontado trará mudanças drásticas ao efetivo municipal.

Até ai a notícia vem a encontro a tudo que a população deseja para o município, mudanças que propõe redução de custos, enxugamento da folha, e um serviço publico mais resolutivo.

Mas como diz o ditado, “divagar com o andor porque o santo é de barro”, e se não tivermos muito cuidado com esse santo ele pode quebrar, afinal estamos falando de mudanças, que terão um impacto quanto ao funcionamento da administração municipal.

Veja, o projeto teve seu pedido de vista e ainda o vereador Willian Barcelos solicitou que um representante do governo fosse até a Câmara para explicar cada um dos itens propostos na lei.

Essa desconfiança toda surgiu pelo absurdo que se estabelece o projeto, determinando que centenas de cargos sejam extintos. Quanto a isso caro leitor, o absurdo se da não pelo fim dos cargos, mas pelo fim de cargos efetivos, enquanto os cargos comissionados, mais de 800 estabelecidos pela Lei Delegada continuam a se alimentar direto das tetas do governo.

Pense que confortável é para o Governo, extinguir cargos de pessoas que estão ali sem ligação partidária, política, por ter trabalhado em campanha ou ter debito de favor com o governo, mas mantendo a possibilidade de se nomear aqueles que você deseja conforme seu interesse, sem ao menos se ter em muitos dos cargos uma normativa mínima para essa nomeação.

Bom seria se esta reforma estabelecesse que os cargos comissionados fossem extintos, ou para não sermos tão drásticos, reduzidos proporcionalmente às metas de economicidade estabelecidas com a reforma administrativa.

Ainda vale lembrar, o que já foi inclusive pontuado pelos responsáveis pelo Sisnova, que os comissionados em nada contribuem para o fundo previdenciário municipal, ou seja, até mesmo esse impacto deve ser revisto, afinal reduzir efetivos com suas contribuições e efetivar comissionados que em nada agregam ao fundo traz também consequências para o fundo.

Particularmente entendemos que a reforma é necessária, mas também entendemos que sair da zona de conforto é o que faz um administrador competente, e no que tange a isso e a outras circunstâncias administrativas como a utilização dos recursos municipais a atual gestão está devendo.

Dizem por exemplo que uma subvenção já vem por ai, o motivo aparentemente é o Hospital São José, que por sinal merece todo amparo e investimento para que a unidade seja mais resolutiva.

Contudo o prefeito poderia começar a economizar reduzindo secretarias e não efetivando secretário para administrar gabinete. O prefeito poderia reduzir custos diminuindo os cargos de diretoria da lei delgada, poderia reduzir os salários dos cargos comissionados.

Se por acaso você caro leitor, pensa que isso já vem sendo feito. Bom um salário de R$ 8 mil, é significativamente salgado para uma cidade onde o Pib da população gira em torno de R$ 1,7 mil, um salário de R$ 21 mil é relativamente alto para uma cidade operária.

A reforma deve acontecer, mas com os devidos pontos resguardados e principalmente, com a queima da gordura nos gordos salários dos engravatados que ocupam os cargos comissionados em Nova Serrana.

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Copyright © 2018 Ineo Sistemas