Conecte-se conosco

Infra-estrutura

O telhado veio ao chão

Publicados

em

Cobertura da quadra da escola do Itapuã não foi vistoriada nesta gestão, e secretário afirma que vistorias regulares não acontecem em Nova Serrana devido a falta de mão de obra da prefeitura para realizar os laudos

Nova Serrana tem vivenciado nos últimos cinco meses situações completamente atípicas quanto ao volume de chuvas que tem atingido a cidade e neste fim de semana mais uma pancada de chuvas trouxe prejuízos para o município.

A cobertura da quadra da Escola Municipal Maria Alves de Brito no bairro Itapuã foi derrubada com o volume das chuvas e o vento. O fato aconteceu na tarde deste domingo, dia 04 de março.

Por não ser um dia de aula letivo, a quadra da escola estava vazia, apesar de que constantemente o espaço é utilizado pela população para a prática esportiva nos fins de semana, por sorte no momento das chuvas o local estava completamente vazio.

As chuvas causaram ainda estragos em outras estruturas metálicas, além de árvores arrancadas, ruas obstruídas, fios elétricos partidos e muros que desabaram, no perímetro urbano da cidade, contudo nenhum registro de feridos foi notificado até o fechamento dessa edição.

Segundo o comandante do 5º Pelotão do Corpo de Bombeiros Militar (CBM) de Nova Serrana, Tenente Thales Gustavo, os bombeiros estiveram no local aferindo as condições da estrutura da escola ainda no domingo.

“Na tarde deste domingo, estivemos presentes na escola municipal do bairro itapuã, onde fizemos uma vistoria no local. O telhado de parte da escola cedeu e comprometeu o isolamento da quadra, ela foi parcialmente interditada pelo corpo de bombeiros, sendo solicitado a secretaria de obras realizar uma avaliação da estrutura”. Disse o comandante do CBM.

Ainda segundo o Ten. Thales Gustavo, apesar de não ter evidencias de que as salas de aula da escola foram comprometidas, foi solicitado pelos Bombeiros uma vistoria no restante da estrutura para que seja certificado as condições de segurança para as crianças e funcionários que utilizam o espaço.

“Quanto as salas de aula aparentemente não foram comprometidas, mas ainda assim foi solicitado pelo corpo de bombeiros uma avaliação quanto a possíveis danos estruturais também quanto a segurança das salas de aula”, ponderou o comandante.

Intervenção do executivo

Segundo informações do setor de comunicação da prefeitura, durante a manhã desta segunda-feira, a prefeitura através da Secretaria Municipal de Obras, já havia iniciado as intervenções na unidade educacional.

De acordo com a Secretaria de Comunicação, o secretário municipal de obras, Hedy Wilson, pessoalmente circulou por esta e outras localidades do município que também foram afetadas com as chuvas e o vento, para que seja aferido a amplitude dos estragos causados na cidade.

Preocupação com outras escolas

A queda da cobertura metálica trouxe a tona ainda a preocupação com estruturas semelhantes que estão espalhadas pelas demais unidades educacionais da cidade.

Construída durante a última gestão de Paulo Cesar à frente da prefeitura de Nova Serrana, encerrada no ano de 2012. Durante essa gestão foram inauguradas outras coberturas de quadras em escolas municipais, como a da comunidade de Gamas e da escola Belchior Preto, que foi interditada em 2017 para uma reforma estrutural.

Diante do fato o receio quanto as condições de outras unidades passa a ser uma realidade, e informações quanto a vistorias e as condições de outras escolas e espaços de prestação de serviço a população passam a ser questionados.

Vistorias técnicas estruturais

Em contato com o setor de comunicação, foram repassados questionamentos quanto ao processo de vistorias das escolas e estruturas municipais que prestam serviços à população.

Segundo o secretário as vistorias de tais locais acontecem seguindo um cronograma, conforme solicitado pelas pastas, contudo afirmou que procedimentos regulares não são realizados devido a falta de mão de obra.

“As vistorias são feitas conforme solicitação dos secretários das pastas. Contudo vistorias regulares não acontecem devido a falta de pessoal suficiente para realização destes tipos de laudos”. Explicou Hedy Wilson, secretário municipal de obras.

O secretário ainda afirmou que a escola de Itapuã que foi acometida com a queda da estrutura metálica neste fim de semana não passou por nenhuma vistoria por parte da Secretaria de Obras.

“A Escola Municipal Maria Alves de Brito no bairro Itapuã não passou por vistorias recentemente porque não haviam sido visualizados problema quanto a estrutura da quadra. A escola do Novo Horizonte, apresentou problemas estruturais na quadra e fizemos recuperações dessa quadra”, ponderou Hedy Wilson.

Estrutura será reaproveitada

Wilson finalizou afirmando que não existe nenhum risco para as crianças que estudam na unidade e que a previsão de reparo na unidade é de aproximadamente três meses. “Não existe nenhum tipo de risco para as crianças que estudam na unidade, a prefeitura irá tirar o material e liberar o espaço, posteriormente será licitação a mão de obra para que a cobertura seja refeita e o material será reaproveitado, tendo assim uma previsão e reparo do espaço para que volte a ser plenamente utilizado dentro de 90 dias”. Finalizou o Secretário Municipal de Obras, Hedy Wilson.

  • Foto: rede social

Mais lidas

Copyright © 2018 Ineo Sistemas