Conecte-se conosco

Colunistas

O açúcar é uma droga!

Cláudia Kaderli

Publicados

em

Quando alguém menciona drogas que viciam, nos vem a mente as substâncias ilegais como maconha, cocaína, crack ou heroína. E, quem tem um mínimo de lucidez, nem chega perto delas, pois já sabe que para ficar viciado, basta começar.

Atualmente, há evidências convincentes de que os alimentos ricos em gordura, açúcar e sal também podem alterar a química do cérebro, da mesma forma como as drogas viciantes citadas acima.

Um estudo com ratos, publicado na revista Nature Neuroscience, sugere que o consumo de alimentos ricos em açúcar leva ao desenvolvimento de um tipo de dependência parecida com a que afeta os viciados em cocaína ou heroína.

O cérebro dos ratos superalimentados com alimentos açucarados, assim como nos dependentes químicos, apresenta uma queda acentuada nos níveis de substâncias responsáveis pelas sensações de prazer, conhecidas como receptores de dopamina. Com menos receptores, o organismo precisa de quantidades de açúcar cada vez maiores para que o cérebro registre a satisfação e prazer desejados.

Existem pesquisas que afirmam que desde doces, refrigerantes, e até mesmo muitos alimentos salgados, nós consumimos cerca de 63 quilos de açúcar por ano – individualmente.

Embora o consumo de açúcar seja um dos hábitos alimentares mais difíceis de quebrar, reduzir a ingestão é uma das melhores mudanças que podemos fazer para impactar a saúde geral.

Reuni algumas dicas que vão te ajudar:

CORTAR A QUANTIDADE DE AÇÚCAR

A fim de reduzir a ingestão, um pouco de trabalho de detetive e muita leitura de rótulos de alimentos é necessária. Uma regra de ouro é não comprar produtos cuja a quantidade de açúcar por porção seja maior que 9 gramas. Você vai ficar surpreso com a quantidade de produtos que isso vai cortar imediatamente.

LEIA OS INGREDIENTES, NÃO OS RÓTULOS

Não deixe embalagens bonitas ou frases como “natural” ou até mesmo “orgânico” te enganarem. Certifique-se de virar a embalagem e ler os ingredientes palavra por palavra. Se itens como xarope de milho rico em frutose, sólidos de milho ou glicose estão listados, escolha outra coisa.

OPTE PELOS AÇÚCARES MENOS PROCESSADOS

Se não está disposto a abandonar o açúcar completamente, mas ainda assim quer fazer a mudança, faça uma troca para as fontes mais naturais e puras de açúcar, como estévia, xilitol, mel ou açúcar de coco.

NÃO BEBA AÇÚCAR

Se quer reduzir significativamente a sua ingestão de açúcar, bebidas são uma das fontes mais obvias. Desde sucos de fruta processados, bebidas esportivas, refrigerantes, bebidas de café e até mesmo bebidas alcoólicas – essas fontes fornecem pouco ou nenhum valor nutricional e são calorias vazias, que não fazem nada para saciar seu apetite.

TREINE SEU PALADAR

Uma vez que você removeu completamente os suspeitos açucarados da sua dieta, o seu paladar provavelmente vai ficar mais sensível até mesmo para a doçura sutil presente nas frutas e vegetais.

REDUZA O STRESS

Reduza os níveis de stress, equilibre os hormônios e durma mais para reduzir o desejo por açúcar. Isso mesmo, se você estiver mais saudável, feliz e descansado, você não vai ter o mesmo desejo por alimentos básicos, como doces e carboidratos do que quando você estiver estressado ou com desequilíbrio hormonal.

CLÁUDIA KADERLI é nutricionista, especialista em Nutrição Esportiva e Coach em emagrecimento. Sócia proprietária do Espaço ReAl.

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Copyright © 2018 Ineo Sistemas