Conecte-se conosco

Colunistas

O bastidores da política – 13/04

Welder Gontijo

Publicados

em

ANTECIPANDO AS ELEIÇÕES MUNICIPAIS

Na última reunião ordinária da câmara municipal de vereadores, o vereador e ferrenho defensor do prefeito municipal, Jadir Chanel, aproveitando a presença do deputado estadual Fábio Avelar condicionou a este, que seu apoio só lhe seria dado, se este se comprometesse, caso fosse reeleito a uma cadeira na assembleia legislativa, que por lá permanecesse pelos quatros anos de mandato. Tal condição despertou criticas e causou estranheza aos que acompanharam seu pronunciamento.

FÁBIO AVELAR PREFEITO

Não é segredo pra ninguém que o deputado Fábio Avelar, é de longa data, um pretenso candidato a prefeito municipal. Não só por um possível desejo pessoal de contribuir com o município, mas também de uma boa parcela do eleitorado municipal.

A temerária atitude de exigir que o deputado faça um compromisso público de que não concorrerá em 2020 às eleições municipais, poderia ser considerado tanto uma atitude juvenil ou como acreditar que os trabalhos realizados até então pela administração municipal, defendida pelo Edil não a credencia para disputar com reais possibilidades de vitória.

DEFESA SOCIAL

Se não bastasse o imbróglio envolvendo a Fiat Toro, recebida com direito a “plumas e paetês” e silenciosamente devolvida a sua real proprietária para ser levada a leilão, desfalcando o pequeno número de veículos disponibilizado à guarda municipal para suas operações de monitoramento e patrulha, decorridos quase 16 meses da atual gestão, encontra-se inerte o projeto de lei que trata da reestruturação da guarda, inclusive com a contratação de novos oficiais. Provocado pelo vereador Jadir Chanel na última reunião do legislativo municipal, explicou o Presidente da Casa que “do jeito que o projeto está ele será rejeitado, o projeto está cheio de erros, por isso não foi votado, existe tratativas entre as procuradoras do executivo e do legislativo, elas concordam que o projeto precisa ser mudado”.

ARTICULAÇÃO ENTRE EXECUTIVO E LEGISLATIVO

É perceptível ao longo da atual gestão que estresses levados a plenário poderiam ser evitados. A maioria dos embates decorre por desconhecimentos, ora de uma parte, ora de outra e às vezes de ambas. Os desgastes gerados pelos debates inúteis e infrutíferos poderiam ser amenizados se tratados previamente, articulado com conhecimento e técnica. Não podemos nos esquecer de que os poderes são independentes, porém harmônicos e para o bem de todos, deverão ser tratados com sabedoria.

PEGANDO CARONA

Lançado em março/2018 o programa “Internet para todos” do governo federal. De iniciativa do Ministério de ciências, tecnologia, inovações e comunicações, o programa tem por objetivo, utilizar-se do satélite geoestacionário gerido pela Telebrás para garantir conectividade nas áreas desatendidas utilizando da banda Ka.

Ocorre que, de conhecimento do projeto, os vereadores resolveram assumir a paternidade do programa e fazer indicações, afim de que o mesmo seja colocado em prática em áreas de nossa cidade que ainda não possuem a cobertura, como áreas rurais, por exemplo. O próprio nome do programa já diz “internet para todos”.  Qual a diferença faria se uma comunidade fosse ou não indicada por um parlamentar para receber o programa? Talvez fosse mais indicada uma melhor reflexão sobre as reiteradas indicações feitas em plenário, com temas de autoria própria, deixando de pegar carona em programas de outros poderes, não se esquecendo de apreciar a efetiva relevância destas indicações.

CPI DA UPA

Indicados os vereadores que comporão a Comissão Parlamentar de Inquérito, que investigará os trabalhos realizados pela Unidade de Pronto Atendimento de Nova Serrana. Segundo vereadores que assinaram o pedido de abertura da referida CPI a mesma se deve a fatos reiteradamente ocorridos na referida unidade. Regimentalmente, tem a comissão o prazo de 120 dias para se apurar as possíveis irregularidades. Espera-se que esta CPI tenha maior celeridade e resultados, pois se encontra em andamento na Casa a CPI da Copasa, que já decorridos os 120 dias previstos no regimento, a qual foi pedida sua dilação de prazo, ainda sem resolução, enquanto isso nas torneiras dos bairros mais distantes a água tem faltado.

A PONTE QUE CAIU

Tomou conta das redes sociais a informação de que a administração municipal começou os trabalhos de recuperação da ponte danificada pelas chuvas na avenida vereador Lelis Camilo. Causa estranheza as entrevistas do secretario municipal de obras que afirmava que a ponte teria que ser totalmente refeita, com orçamento superior a um milhão de reais. Aproximadamente cinco meses após o dano e percebendo que não virão de Brasília com a urgência necessária os recursos para reconstrução da referida ponte, o secretário declara que a ponte não será totalmente reconstruída e sim recuperada, porém com previsão de gastos de 900 mil reais, contradizendo as falas iniciais. Enquanto isso a nova ponte que está sendo edificada no bairro São Geraldo ligando a BR 262 tem orçamento previsto em pouco mais de 400 mil reais.

ENQUANTO ISSO

No estado de Minas Gerais as cadeiras se movimentaram bastante na última semana. Jaiminho Martins, filho da terra deixou o PSD desembarcando no PROS, levando consigo o sonho de compor uma chapa majoritária, possivelmente com Márcio Lacerda, para concorrer ao Palácio da Liberdade ainda este ano. Já a ex-presidente Dilma Rousseff transferiu seu domicilio eleitoral do Rio Grande do Sul para Minas Gerais e acredite, em algumas pesquisas já lidera a corrida por uma vaga no senado federal. Possivelmente Minas Gerais poderá reeditar a disputa de segundo turno das eleições de 2014 entre Dilma e Aécio. Quem viver verá.

WELDER GERALDO GONTIJO é advogado e contador, especialista em Direito e Processo do Trabalho, articulista político, foi secretario municipal de Nova Serrana na gestão 2013/2016.

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Copyright © 2018 Ineo Sistemas