Conecte-se conosco

Atualidade

Não existem “ovos de plástico”

Publicados

em

A despeito dos vídeos que viralizaram, especialistas dizem que características ‘estranhas’ ocorrem em produto velho

Vídeos que circulam nas redes sociais levantam dúvidas sobre um produto que é muito consumido pelos brasileiros: o ovo. Nas imagens, moradores de várias partes do Brasil alertam para características estranhas: casca dura demais, algo como um “plástico” entre a casca e a clara, que é “aguada”, e uma gema pálida. Em seguida vem a afirmação: os produtos vendidos no país são de plástico.

Não são. Especialistas em ovos descartam qualquer possibilidade de “ovos de plástico” estarem sendo comercializados no país. A circulação dos vídeos sobre os “ovos de plástico” fez a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) pedir uma manifestação pública do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, para desmentir as fake news.

O setor reclama de prejuízos. “Já há casos, em mercados, em que consumidores estão quebrando ovos para confirmar se o produto é, de fato, ‘verdadeiro’”, diz o presidente da ABPA, Francisco Turra, em ofício enviado ao Ministério da Agricultura.

Depois de ver um dos vídeos, a cabeleireira Ronilda Fagundes, moradora do Bairro São Geraldo resolveu fazer o teste e se assustou. “Quando quebrei o ovo, saiu a película certinha, por isso achei estranho. Também achei o ovo ralo, parecendo que estava aguado. Na hora, acabei comendo, mas depois lembrei-me do vídeo, e meu estômago embrulhou”, conta.

Ronilda relata que chegou a colocar fogo na película para checar se era plástico mesmo. “Eu nunca vi um ovo com película tão grossa”, justifica.

“O ovo passa por todo um processo de inspeção da vigilância sanitária em todos os Estados. Não tem como um ‘ovo de plástico’ chegar ao consumidor”, diz a coordenadora da Vigilância Sanitária de Saúde Pública do Rio de Janeiro, a médica veterinária Roberta Ribeiro.

Ainda de acordo com ela, as características citadas como anomalias do ovo, na verdade, são características que podem ser causadas por uma série de efeitos externos, como a temperatura em que o produto foi armazenado ou até mesmo sua data de validade. “Quando o ovo está mais velho, a clara vai ficando um pouco mais aguada e se mistura com a gema. É normal isso acontecer, e o ovo pode ser consumido normalmente, porque suas características microbiológicas estão mantidas. O que deve ser observado é se o ovo estragou”, explica.

Sobre a membrana exibida nos vídeos, que os consumidores dizem ser de plástico, a especialista explica que ela é uma das seis camadas que compõem a casca do ovo. “Aquela é uma membrana de queratina que funciona como uma proteção do ovo”, diz. “O ovo da galinha mais jovem é menor e, portanto, tem uma concentração maior de cálcio. Isso faz com que a casca seja mais dura. Já no caso da galinha mais velha, ela vai botar um ovo maior e com menos cálcio e, por isso, a casca vai ser mais fina”, explica o médico veterinário Fábio Nascimento, professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e especialista em produção de aves e ovos.

Foto: MARIELA GUIMARÃES / O TEMPO

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Copyright © 2018 Ineo Sistemas