Conecte-se conosco

Editorial

Entre ter razão e ser feliz, precisamos ter a razão

Publicados

em

Pela internet sempre se lê nos posts pelas redes sociais a afirmativa “entre ter razão e ser feliz é melhor ser feliz”. A frase que tem uma aplicação em certos momentos até engraçada, diz respeito ao fato de que entrar em um debate nem sempre é a melhor coisa a se fazer.

Nós do jornal O Popular temos o hábito, ou melhor, a missão de entrarmos em debate e não com o intuito de vencer, mas sim com o intuito de reproduzir e divulgar para nossos leitores o que tem ocorrido nos mais diversos segmentos de nossa cidade.

Porém para que nossa missão seja cumprida com eficácia, é necessário que nós, como comunicadores tenhamos mais do que a razão, é necessário que tenhamos consciência e comprovação daquilo que divulgamos, deixando assim de lado o achismo.

No final do mês de agosto nós entramos em uma discussão. Entramos em um embate pelo fato de termos divulgado em nosso Diário que um dos candidatos da cidade estaria prestes a ter sua candidatura indeferida.

Para que a matéria fosse publicada, cumprimos como o manual, entramos em contato com o cidadão que afirmou não ter ciência do assunto, mas que iria acionar seus advogados para que as providências fossem tomadas.

Na ligação alegamos e explicamos que tínhamos em mãos conhecimento sobre a denúncia do Ministério Público Eleitoral (MPE) e que contratos assinados após o prazo exigido por lei de descompatibilização, era o motivo do processo.

Ainda assim o candidato manteve seu posicionamento, conosco, porque instantes depois de ter nossa matéria divulgada em nosso portal de notícias, um vídeo foi postado onde se deu a entender que nós estaríamos agindo de forma politiqueira a mando de velhas raposas da política pelo fato de que ele “com toda sua expressividade política”, estaria os incomodando.

Bom, ficamos calados diante dos fatos e agora com o tempo o que se tem é uma decisão judicial, o que se tem agora é o martelo batido com o entendimento de um jurista do Tribunal Regional Eleitoral, que acatou a denúncia, apresentou seus argumentos e tornou a candidatura indeferida.

Quanto a notícia, você caro leitor, pode ler nossa matéria de capa e entender os trâmites dos contratos que renderam mais de R$ 1,1 milhão, contratos esses que foram assinados recentemente e de processos que dispensaram licitação ou que não houveram concorrência, o que pra nós é no mínimo curioso.

Porém queremos chamar a atenção não somente para o fato dos contratos, mas para o fato de que tem se prometido e afirmado que está na hora de se fazer uma nova política, e a negativa diante de fatos constatados são apenas mais um pouco da velha prática política.

É necessário que os candidatos tenham culhão para assumir os erros, afirmativas, condições e limitações. É necessário que se pratique algo diferente do que temos visto e no caso do candidato, ou melhor, até que se tenha um recurso ex-candidato, onde se negar e iludir eleitores com falácias de quem está na mídia seja abominado da política.

Muitos candidatos tem enchido a boca para falar que querem uma nova política, mas como fazê-la de fato não se sabe. E partindo desse principio permanecem com as velhas práticas mascaradas com um sorriso e maquiagem no rosto, além é claro de um bom designer para fazer boas peças publicitárias.

A você caro leitor, aqui deixamos claro nosso repúdio para aqueles que não tem propostas, para aqueles que não assumem suas responsabilidades, para aqueles que caem de paraquedas na política e a querem fazer com o intuito de se beneficiar do sistema corrupto.

Queremos aqui deixar claro que aplaudimos a todos os candidatos de nossa cidade que fazem propostas concisas, que levam ao pé da letra a missão e o trabalho político e principalmente, para aqueles que são verdadeiramente honrados para assumirem suas responsabilidades e limitações.

Finalizando convidamos você a refletir muito bem na hora que for digitar seu voto nas urnas eletrônicas. Você tem a responsabilidade de avaliar e aprovar aqueles que serão responsáveis pelo nosso país, e assim sendo, esperamos que aqueles que praticam as velhas manobras politiqueiras, mesmo sendo novos no cenário eleitoral, fiquem de fora dos próximos anos de nossa história.

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Copyright © 2018 Ineo Sistemas