Conecte-se conosco

Política

Entre crise, polêmicas e acertos, prefeito Euzebio Lago planeja o ano de 2019

Publicados

em

No final de 2017 em oportunidade exclusiva com o prefeito de Nova Serrana Euzebio Lago, este confidenciou a nossa equipe de jornalismo que esperava um ano tranquilo onde os principais projetos e ações de seu plano de governo seriam implantados.

Essa era a perspectiva do prefeito, que de forma genérica não se concretizou, afinal o ano de 2018 foi marcado por conflitos políticos, exonerações de secretários e outros problemas e polêmicas administrativas que partiram de uma perda da presidência no legislativo municipal, passou por uma ponte que demorava ser refeita e agora esbarra em polêmicas relacionadas a merenda escolar e projetos de concessão de terreno.

Contudo para o prefeito, o ano foi positivo, e até superou as expectativas que foram efetivamente reformuladas devido a crise financeira administrativa pela qual passa o Estado de Minas, que retém recursos e amplia a cada dia o débito com os municípios, levando cidades a beira da falência administrativa.

Em um papo aberto com o prefeito Euzebio Lago, esse Popular abordou questões polêmicas como o caldo de abobora servido aos alunos da rede municipal de ensino, projetos que já deveriam ter sido entregues e até o momento não foram concluídos e ouviu do próprio prefeito quais são as expectativas e projetos, sociais, urbanos e políticos para o terceiro ano de sua gestão.

O Popular (OP) – O ano de 2018 chega ao seu fim, como você avalia o segundo ano de gestão prefeito?

Euzebio Lago (EL) – Um ano de dificuldade e superação. Neste ano abrimos postos de saúde, construímos salas de aula, mantemos a cidade funcionando e melhorar a saúde e educação no meio dessa dificuldade financeira que se presencia em Minas, passa para além da obrigação e chega ao campo da superação.

OP – E quanto ao ano de 2019, quais as perspectivas?

EL – Tomara Deus que seja um ano menos problemático do que 2018. Esperamos que o governo do estado não retenha mais o que é de direito do município, e como foi comprometido pelo Romeu Zema, que comece gradativamente a pagar o que esta atrasado por parte do Estado para com os Municípios.

OP – Quando se fala em um ano menos difícil e se observa o cenário prevemos que terá sim dificuldades, pois ao contrário de 2017, o crédito de subvenção pré-aprovado é apenas de 5%, e ainda, essa divida do estado realmente representa algo tão relevante sendo que a cidade teve uma arrecadação de R$ 160 milhões.

EL – Os 17% do orçamento para mexer é do valor que se tem para remanejar, com esse percentual reduzido e congelado acaba que nos atemos mais para os detalhes e damos mais resolutividade e objetividade para as ações, não será mais fácil, mas faremos um bom trabalho. Quanto a dívida do estado, os R$ 30 milhões representam hoje  mais de 3 anos de arrecadação de IPTU, que é uma das maiores arrecadações do município junto com o IPVA. Para se ter uma ideia esses R$ 30 milhões representam dois meses de arrecadação do município, e justamente nestes dois últimos meses finais, onde as receitas caem e aumentam as despesas que sentimos de forma mais acentuada a falta desses repasses.

OP – A cidade teve evoluções significativas a seu ver neste ano?

EL – O Hospital Dia que trabalha com alto volume de atendimento e nós iriamos oferecer serviços para além de Nova Serrana, mas também para as cidades ao redor que iriam trazer as demandas para nossa unidade. Todos os municípios estão passando pelo mesmo momento. Nós optamos após a lamentável morte do Dr. Roberto e a mudança da diretoria, optamos para iniciarmos as atividades em março de 2019. Com a gestão da saúde nós praticamente zeramos as filas de espera e com as demandas do município não podemos impetrar um hospital de alto atendimento, e isso acontecerá em 2019. Na área da saúde tivemos as melhorias, 2 UBS, ponto de apoio no Cidade Nova, o complexo municipal de saúde que facilitou a logística, a questão das cirurgias de catarata mais de 120 foram feitas,  então necessitamos da situação financeira regularizada em 2019 para abertura de novas unidades.

Temos que ressaltar ainda na saúde a cogestão na UPA. Pode ser percebido  um antes e depois, que já ratificamos com a população que os protocolos e a forma de atender melhorou muito. Também gastando menos, Deus tem nos deu graça, e ao contrário de muitas cidades que já pararam e nós manemos todos os serviços essenciais funcionando.

OP – Outra área que sempre demandou de muitos esforços é a Educação, na sua perspectiva a cidade termina 2018 melhor do que começou nesse segmento?

EL – Educação é outra coisa quanto a questão de calamidade tem causado estrago nas cidades vizinhas. Tivemos grandes investimentos, construímos 36 salas de aula, sendo investidos quase R$ 2 milhões em construção destas salas de aula que pelo fato das escolas estarem funcionando e já edificadas esse desenvolvimento não é tão visto. A educação melhorou muito, temos 18 escolas em tempo integral, temos 280 crianças com síndromes de vários tipos, de fogo selvagem, autismo, ossos de vidro, ela tem um anjo na escola por sua conta um monitor. Na escola Beatriz Rita temos uma criança autista que está lendo desenvolvendo na parte acadêmica, socializando e estamos vendo os resultados, uma criança altista esta alfabetizada e isso é um ganho muito grande. No meio de tudo isso, a qualidade da merenda, é um marco na escola porque a educação é a base de tudo.

OP – Por falar em merenda, a sopa de abobora foi com ou sem filé de frango?

EL – Esses boatos e polêmicas do Caldo de Abobora não são verdadeiros. Já sei quem falou, de quem é parente, a qualidade da merenda das escolas em Nova Serrana é muito boa. Colocar um purê com frango, carne com mandioca e arroz, na mesa não é para qualquer rede de ensino, um prato desse não é baratos nos restaurantes. Gastamos por semana 850 kg de patinho, 700 dúzias de ovos, 750 kg de peito de frango, fora frutas, polpa. Essa notícia é infelizmente uma notícia falsa (Fake News), sabemos quem fez e porque fez.

OP – Já que tocamos em assuntos polêmicos prefeito, primeiro teve a ponte da Lelis Camilo e agora a ponte do São Geraldo que tinha sido anunciada para ser entregue em abril e até agora não foi concluída.

EL – A Ponte do São Geraldo tivemos a diferença das vigas e ela vai ser entregue a população. A ponte do centro nós demorarmos porque esperamos do Governo Federal, essa era nossa obrigação, porque tinha um recurso para vir pelo estado de calamidade pública, infelizmente os recursos não vieram e nós fizemos a ponte em 4 meses, ela foi entregue a população. A do São Geraldo também será e vale ressaltar que não tem nenhuma ponte na cidade com aquela dimensão e estrutura e ela vai ser entregue a população.

OP – Como você avalia a estrutura da cidade?

El – Nova serrana é uma cidade que fizeram um bairro como o Jardins do Lago no centro comercial da cidade, um loteamento sem drenagem nenhuma, agora vamos exigir asfalto de qualidade, e toda estrutura de qualidade. Nós vamos exigir uma estrutura mais qualificada para a cidade, asfalto com drenagem, iluminação de led, e ano que vem já estamos buscando a drenagem das canalizações dos ribeirões e as pontes da cidade. Nova Serrana inteira precisa ser recapeada, estamos em busca de recursos para essa obra, já obtivemos o compromisso de R$ 7 milhões em repasses para a parte de cima da cidade, agora vamos buscar o restante, tendo como plano recapear primeiramente as principais vias de acesso e posteriormente as demais.

OP – As passarelas como anda o processo e ainda houve um desgaste quanto ao projeto de uma nova via na cidade, como você avalia isso?

El – As passarelas já fizemos o certame, não houve interessados, ampliamos o prazo e já encontramos o caminho para que a situação seja concluída e em breve possamos realizar e entregar essas obras. Sobre o projeto, nós vamos criar corredores de trânsito, essa avenida será feita pela troca de área privada, vamos fazer a troca pelo restante do terreno no Fausto Pinto, precisamos criar corredores de trânsito para desafogar o trânsito da cidade e essa área vai auxiliar muito para toda a população. É ainda importante entender que empreendimentos como esse são importantes para a cidade, existem conversas de que outras empresas do ramo alimentício querem vir para Nova Serrana, isso é um beneficio, pois, serão impostos, empregos, arrecadação e o mercado será diversificado o que auxilia a cidade a manter a questão da empregabilidade.

OP – Muito foi feito na segurança nos dois primeiros anos, existem outros projetos para serem realizados, mesmo com a crise que se vivencia?

EL – Vamos deflagrar o processo do Concurso Publico da Guarda Civil Municipal. Nós também temos a proposta de um centro de comando em Nova Serrana. Este é um projeto audacioso, vamos colocar uma barreira eletrônica na cidade, vamos Conciliar as câmeras públicas e privadas de segurança e partindo dai vamos criar um centro de comando. Com isso um veículo roubado, por exemplo, em menos de 100 metros já é recuperado porque o monitoramento permite que a polícia antecipe as ações e acompanhe os passo do criminoso quando comete a infração. Também temos o projeto de iluminação que será enviado a Câmara, porque iluminação também é segurança, quando investimos como foi feito nas praças, devolvemos a população o espaço público. Se os espaços estão escuros eles colocam a população em risco e como foi com as trincheiras também acontecerá por toda a cidade.

OP – O ano de 2018 também não foi dos mais tranquilos quanto a política, o que você espera para 2019?

EL – Sou o único prefeito que já esteve vereador, tenho respeito e espero o mesmo do legislativo. Espero que possamos trabalhar para as pessoas que votaram nos políticos, que a cidade esteja acima de qualquer nome, que possamos servir e ter harmonia entre o prefeito e os vereadores. Somos uma cidade onde os migrantes estão a frente do governo e sendo assim penso que podemos nos unir por Nova Serrana, a cidade é mais importante do que todos nós. Assim espero que 2019 seja um ano de mais amadurecimento, de independência, mas de harmonia e que todos estejam de mãos dadas por Nova Serrana.

OP – Para finalizar prefeito, suas considerações finais aos leitores do Jornal O Popular.

EL – Quero agradecer a população de Nova Serrana a confiança de terem acreditado em meu nome e nome do vice prefeito para termos o privilegio de podermos servir. O ano de 2018 foi muito difícil, mas temos o desejo de poder servir a cidade, temos um compromisso de dar qualidade de vida, como foi na saúde, educação, segurança, em todos os aspectos. Queremos também desejar a todos um Feliz Natal! E que em 2019 seja um ano melhor para toda Nova Serrana.

Mais lidas

Copyright © 2018 Ineo Sistemas