Conecte-se conosco

Editorial

Ele quer o seu sangue!

Publicados

em

Acreditem, ao percebermos que estamos prestes a vivenciar uma epidemia de dengue, um desconforto significativo pairou sobre nossa redação e a falta de percepção quanto a esse e tantos outros problemas que temos vivenciado na cidade deixa este Popular no mínimo inquieto.

Desde que eleito o atual gestor de Nova Serrana tem sido bombardeado por 2/3 da população da cidade que gostariam de ver Joel Martins ou até mesmo o impugnado Paulo Cesar de Freitas à frente do município.

Entre as criticas, buracos, falta de investimento em vias publicas e questões básicas como o combate à dengue estão de certa forma manchando a imagem da atual gestão que tem buscado medidas, tem trabalhado, porém as necessidades que se apresentam são imediatas e a batata quente não pode ser prorrogada.

Entendemos que hoje o cidadão de Nova Serrana como em todo o país está descrente quanto a política e até mesmo pela imposição dos adversários políticos e sua militância e a impressão que se tem é que nada que a administração faça trás bons resultados.

Em 2017 a cidade praticamente não teve casos de dengue registrados, notícia que sequer teve muita repercussão, e talvez por ter tido a situação controlada no primeiro ano, o gestor não deu ao problema a atenção que era necessária, e agora, os índices estão elevados, a cidade se torna antagonista no centro-oeste e acaba que uma demanda maior do que a necessária de recursos são destinados para que o problema seja minimizado.

A culpa de tudo isso caro leitor, é de todos, desde a eleição, as urnas, desde a não limpeza de sua casa, desde a passividade em se cobrar medidas impositivas eficazes, desde a torcida contrária ao político que está no poder.

Todos temos nossa parcela de culpa, afinal a cidade é apenas administrada pelo atual prefeito, que tem uma equipe, que diga-se de passagem, quanto a saúde é super competente, contudo nós moramos aqui, nós cuidamos ou deveríamos de nossa cidade, nós agimos irresponsavelmente nas urnas, nas ruas, como cidadãos.

Ao prefeito cabe agora realmente matar mosquito voando, cabe a ele, mover esforços e evitar que uma epidemia se alastre pela cidade, cabe a atual administração remediar o que deveria ser tratado, afinal o vírus é mutável e se em 2017 sua variação não causou estragos em 2018, apenas nas ultimas 2 semanas ao menos 50 pessoas foram diagnosticadas como possíveis infectados com a dengue.

A situação se torna pior quando percebemos que 90% dos bairros da cidade tem índices elevados de proliferação da doença. Isso nos mostra que não é nem questão de classe social, é questão de comportamento, e se por tanto tempo nos preocupamos com os buracos, agora temos também que nos desviar dos mosquitinhos com pintinha branca que deixam todos de cama.

Ainda não houve nenhum óbito em Nova Serrana, e torcemos significativamente para que isso não venha acontecer, até porque a essa altura do campeonato seria mais uma vida perdida, mais uma estatística negativa, mais um tiro no pé de uma gestão que venceu com a proposta de fazer as coisas efetivamente diferentes.

A situação pela qual hoje vive Nova Serrana nem é mais uma questão de avaliarmos de quem é a culpa, até porque filho feio sempre é dos outros. Agora precisamos de nos mover para que desgraças maiores não aconteçam.

As pontes já caíram, os buracos com as chuvas apareceram, a segurança continua a mesma de sempre, investimentos na saúde tem sido feitos, as mudanças são perceptíveis mais ainda estão a quem do que sonha a sociedade, e no meio dessa tempestade, buscar cabeças para cortar não faz com que nada venha a mudar.

Finalizando, fazemos aqui um apelo a você caro leitor. Não importa efetivamente quem está no poder, a cidadania não tem partido, muito menos bandeira política. O mosquito da dengue que também transmite chikungunha, zika e a febre amarela, não tem preferencia por eleitor de Joel, Paulo ou Euzebio, ele quer o seu sangue, a saúde de seu filho e assim sendo, deixe de lado o partidarismo irracional, seja cidadão e ajude a acabar com esse mal.

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Copyright © 2018 Ineo Sistemas