Conecte-se conosco

Economia

A força do maior polo calçadista do Brasil

Publicados

em

Sucesso da “Nova Serrana Feira e Moda” e demais feiras organizadas pelo Sindinova, consolidam a força do Polo Calçadista de Nova Serrana que já é o maior do país

 No mês de janeiro de 2018, os fabricantes de Nova Serrana ganharam uma nova possibilidade de negócios e ampliação da abrangência de suas marcas através de uma inciativa promovida pelo Sindicato Intermunicipal de Indústria de Calçados de Nova Serrana – Sindinova. Trata-se da realização da primeira “Nova Serrana Feira e Moda”, na cidade de São Paulo, ação que foi considerada um sucesso pelos organizadores.

A feira realizada de forma pioneira na cidade de São Paulo aconteceu no Anhembi, e contou com a participação de 63 fabricantes que expuseram em seus estandes mais de 100 marcas que foram vistas por mais de 200 lojistas de diversas regiões do Brasil e ainda, contou com a presença de aproximadamente 2.500 visitantes ao longo dos três dias de evento.

Porque uma feira em São Paulo?

A feira aconteceu diante de uma necessidade que surgiu após os organizadores da Feira “Couromoda” retrocederem em uma negociação de espaço que vinha sendo feita entre o Sindinova e os organizadores do evento.

De acordo com o presidente do Sindinova Pedro Gomes, a iniciativa surgiu e se mostrou necessária diante da situação encontrada.

“Após termos fechado um acordo e finalizado a negociação de determinado espaço para nossos fabricantes, recebemos o contato dos organizadores informando que nosso espaço foi renegociado com outro grupo e que os termos não estavam mais disponíveis, assim teríamos que nos adequar a um quadro muito inferior ao que pensávamos. Diante disso, tivemos a inciativa de valorizar nosso fabricante, locamos nós mesmo a área no Anhembi, e organizamos a primeira de muitas feiras que virão, afinal foi um sucesso”.

O diretor ressalta que quanto ao fator custo, a feira foi ainda mais atrativa para os fabricantes que tiveram ampla exposição com custos ainda mais baixos.

“Quando os fabricantes nos questionaram se ficaríamos de fora, entendemos que precisávamos de um solução que trouxesse ainda mais benefícios, e assim aconteceu, os custos foram menores e os resultados muito satisfatórios. Para se ter uma ideia, cada estande custaria em torno de R$9.2 mil na “Couromoda”, e na nossa feira, o custo do estande foi R$ 4.2mil aproximadamente, ou seja uma economia que girou em torno de R$ 5 mi para cada expositor”. Ponderou Pedro.

Outro fator que tornou a feira viável e incentivou ainda mais a realização de novas edições foi a maior gama de importadores que participou do evento, o que para os olhos do sindicato torna o evento mais atrativo e relevante quanto a visibilidade para o calçado do polo de Nova Serrana.

“O que nos agradou ainda mais foi a participação de muitos importadores, isso agradou o fabricante e tornou o sucesso da feira ainda maior”. Salientou o presidente do Sindinova.

Nova Edição da “Nova Serrana Feira e Moda”

A “Nova Serrana Feira e Moda” é um evento que foi realizado em momentos passados e por um tempo ficou adormecida, foi deixada em um limbo e agora após o sucesso do empreendimento o Sindinova já planeja as ações para janeiro de 2019 e tem planos ousados para a continuidade da feira.

Segundo Pedro Gomes, para 2019 a feira já está com os procedimentos da organização adiantados, e além de maior área a feira terá o dobro de expositores.

“Em 2019 daremos continuidade a “Feira e Moda”, e não só isso vamos ampliar o número de participantes, teremos no próximo ano cerca de 132 estandes”. Disse o presidente.

Pedro Gomes reforça ainda que a ideia do sindicato é de adotar no futuro os moldes de feiras internacionais e promover a “Feira e Moda” de forma itinerante.

“Estive nos Estados Unidos a convite de uma marca a qual fabrico, conhecendo uma feira realizada em Las Vegas, fiquei impressionado com a qualidade, organização e facilidade de se promover a ação que tem grande abrangência, assim queremos trazer esse conceito para nossa “Feira e Moda” e tornar este empreendimento itinerante”. Afirmou Pedro Gomes.

Mas antes acontece a “Fenova”

O sucesso da “Nova Serrana Feira e Moda” apenas reforçam o otimismo quanto a realização da 21ª FENOVA, que acontece entre os dias 27 de fevereiro e 01 de março.

Nesta edição da feira que acontece no Centro de Convenções em Nova Serrana, serão expostas marcas fabricadas no polo calçadista de Nova Serrana em 250 estandes e a perspectiva do sindicato é que se tenha um crescimento de receita com os negócios realizados em aproximadamente 10%.

“Na última feira tivemos um montante de negócios na ordem de R$ 32 milhões, esperamos nesta edição de FENOVA ultrapassar a casa dos R$ 35 milhões em negócios a serem realizados em Nova Serrana”. Diz Pedro Gomes.

Para que isso aconteça o sindicato torna mais fácil a vida de lojistas que se interessam em participar do evento e viabiliza benefícios para comerciantes de todo o país.

“Para os comerciantes que tem mais de cinco lojas, nós viabilizamos a passagem de avião para BH, o traslado até Nova Serrana e a hospedagem na cidade, isso de forma inteiramente gratuita. Para esses comerciantes o custo fica apenas por conta da alimentação, ou seja, tornamos rentável e viável a participação no evento de nossa cidade”, explica o presidente.

Desenvolvimento do Polo

O resultado e abrangência das feiras realizadas pelo Sindinova são fruto do desenvolvimento do polo e do sindicato que é o maior do setor calçadista no país.

Para o presidente o volume de produção e receita consolidam o polo de Nova Serrana como o mais relevante do setor em todo o Brasil.

“Já há cinco anos somos o principal polo calçadista do país, em 2017 tivemos uma produção de 98 milhões de pares de calçado e apesar de uma pequena queda na produção comparado ao ano de 2016 a receita aumentou, e isso aconteceu porque temos hoje um produto com preço atrativo e que segue os padrões de qualidade e moda, o comerciante que hoje não tem nossos calçados perde vendas, deixa de lucrar e sente a falta das marcas de Nova Serrana”. Afirmou Pedro Gomes.

Em 2016 foram produzidos 103 milhões de pares de calçado no polo, enquanto em 2017 a produção caiu para 98 milhões de pares.

Comparando a produção o setor teve uma queda quanto a produção, contudo os demais números mostram que o mercado está em constante crescimento.

Em 2015 o setor calçadista Nova Serrana gerou uma receita de R$30,031 bilhões, em 2016 houve um crescimento para R$ 3.540 bilhões e 2017 o crescimento alcançou o montante de R$ 3.813 bilhões.

Parte desse crescimento se da pelo trabalho que o sindicato vem desenvolvendo junto ao produtor com programas como o Centro de Produção de Negócios que após completar um ano movimentou mais de R$ 8 milhões em negócios e gerou a produção de 400 mil pares de calçados. E ainda realizou 14 rodadas de negócios entre 13 redes de lojas do setor, que correspondem a 182 pontos de venda, facilitando negócios de aproximadamente R$ 14 milhões e a produção de quase 700 mil pares de calçados.

  • Foto: Antonio Azevedo
Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Copyright © 2018 Ineo Sistemas