Conecte-se conosco

Colunistas

A disputa rumo ao Governo de Minas, o intenso jogo de tabuleiros!

Luciano Augusto

Publicados

em

O Xadrez é um jogo/esporte, e é também considerado como uma arte e ciência.

Na verdade o xadrez nada mais é que um jogo de tabuleiro, um jogo de estratégia.

As Pré-campanhas eleitorais, mais se parecem com um jogo de tabuleiro, as peças vão se movimentado de acordo com cada jogada, e essa disputa pelo que iremos classificar como um jogo, que seria a disputa pelo Governo de Minas recebeu  novas jogadas de uma disputa imprevisível, no final quem dará o xeque mate, e terá o prazer de colocar seu nome a disposição do povo mineiro?

Semana passada o então Pré-candidato pelo PP- Diniz Pinheiro, se desfilou da legenda e teceu algumas criticas a postura do  ex partido.

Na verdade sua aproximação ao ex Prefeito de Belo Horizonte, que também é Pré-candidato pelo PSB, não agradou parte da bancada de Minas no congresso, que se posiciona ao lado do Pré-candidato do MDB Rodrigo Pacheco.

Ainda na semana passada, uma matéria veiculada em um jornal de Belo Horizonte, afirmava que Rodrigo Pacheco, estaria irredutível em relação ao senador Aécio Neves, compor seu palanque, pessoa da qual o mesmo não mantém nenhum vinculo, diferentemente do Ex Governador e seu amigo o Professor Antônio Anastásia.

Ainda sobre o Prof. Anastásia, noticias de Brasília seriam de que o Presidenciável Geraldo Alkimin, quer e necessita de um palanque forte em Minas Gerais, e esse espaço seria preenchido por Anastásia, mas parece que o Senador quer é mesmo cumprir sua missão no Senado, e comentam-se nos bastidores, que o mesmo  teria um certo interesse após a Política, se dedicar a vida Jurídica, podendo e tendo até mesmo currículo para quem sabe um dia ocupar uma das cadeiras do STF ou STJ.

Caso Anastásia entre na disputa, o jogo muda totalmente, as peças irão se reposicionar no tabuleiro dos partidos.

A convenção do PHS em Belo Horizonte, lançou o nome do atual Prefeito de BH Alexandre Kalil para a disputa ao Governo de Minas. Na minha simples avaliação, não podemos comparar de forma nenhuma uma eleição ao Executivo Municipal da Capital a disputa pelo Governo, são duas eleições distintas, além do mais,  para quem dizia, não ser Político, mas abandonar um mandato para disputar outro, será que o eleitorado, aceitaria isso de forma mansa e pacifica, quem assumiria a Prefeitura de BH? Paulo Lamac, ex PT e atual membro da REDE Sustentabilidade de Marina Silva, e a REDE, que já lançou seu candidato ao Governo de Minas, João Batista Mares Guia, a REDE repetiria a dobradinha na esfera Estadual?

Listamos os pré candidatos, Rodrigo Pacheco – MDB – Marcio Lacerda – PSB,  Fernando Pimentel – PT, João Batista Mares Guia – REDE, Romeu Zema – Novo, Anastasia – PSDB, Kalil – PHS.

Retirei o nome de Diniz Pinheiro, pelas conversas de bastidores, estaria estudando a possibilidade de ir ao Senado na chapa de Marcio Lacerda – PSB, ou até mesmo a vice.

Voltando para nossa simples analise, acredito que nesse momento o cenário político em Minas, aguarda algumas definições, entre elas a candidatura ou não de Anastásia.

Enquanto isso, os pré candidatos estão às ruas, ou melhor, nas estradas do Estado e nas redes sociais. Lacerda – PSB, lançou seu site e o que podemos chamar de pré-slogan “Minas tem Jeito”.

Romeu Zema, segue com sua pré campanha principalmente na internet divulgando as ideias, projetos de seu partido o NOVO.

Rodrigo Pacheco – MDB esteve em nossa região, Formiga e Arcos e no sudoeste de Minas Passos, um verdadeira maratona no centro oeste e sudoeste de Minas, conversando com Prefeitos, vereadores, liderança, reforçou suas propostas em prol da defesa do movimento municipalista, consequentemente da necessidade de uma atenção maior aos Municípios por parte do Governo do Estado.

Surgiram alguns comentários, que o Governador Fernando Pimentel – PT, talvez viesse ao senado, mas sinceramente, não acredito que entregaria o Governo ao MDB de seu vice Toninho Andrade, que hoje é um de seus desafetos por não concordar com uma serie de ações do Governo que em tese deveria ser de ambos, afinal Toninho teve sua importância na vitória da chapa, principalmente no interior, Triangulo Mineiro, que o diga.

Como diz o velho ditado “debaixo dessa ponte, ainda tem muita água para passar”, mas de uma coisa é certa a disputa pelo Governo de Minas, há tempos que não estava tão recheada de articulações, movimentações políticas.

A última das boas campanhas foi a de Eduardo Azeredo e Itamar, me recordo Azeredo chegando em Piumhi, para fazer campanha ainda criança acompanhando meu avô, foi uma grande recepção. Azeredo venceu na nossa cidade, mas perdeu no Estado.

Infelizmente, Itamar não repetiu naquele mandato o bom Presidente que havia sido para o Brasil, Minas entrou em uma profunda recessão, decretando inclusive moratória, a falta de dialogo com o Governo Federal conduzido por FHC, atrapalhou muito Minas.

Interessante que em 2002, Aécio e Lula, eleitos fizeram o inverso, ainda bem para nosso Estado, foi um governo de dialogo entre Minas e a União.

Para Refletir:

“A arte de vencer se aprende nas derrotas.” * Simom Bolivar

LUCIANO AUGUSTO O. LOPES é bacharel em Direito pela Sociedade Dom Bosco de educação e cultura - Faculdade de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis - Divinópolis (2012). Advogado inscrito na Seccional OAB Minas Gerais, desde 2015, com ênfase em Direito Público, atuando nas áreas do Direito Eleitoral, Administrativo. Atua como Consultor Jurídico do IPGC (Instituto de Planejamento e Gestão de Cidades). Possui diversos cursos voltados para o Marketing Político Eleitoral, tem experiência em campanhas políticas e na gestão de projetos políticos.Há habilidade em comunicação tendo atuado na função de radialista/jornalista

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Copyright © 2018 Ineo Sistemas